Manutenção.net Notícias

oferecimento
Esqueci minha senha

Pesquisa mostra que Profissionais do Mercado de Manutenção e Facilities estão otimistas quanto ao ano de 2017

Índice confiança melhorou 32% desde dezembro de 2016

Notícias - 07/03/2017

A pesquisa mensal sobre a expectativa dos profissionais que atuam em Manutenção e Facilities mostra que o otimismo é grande entre eles, mas que os números resultados só serão melhores é no segundo semestre do ano.

A pesquisa nacional IC-MRO vem sendo valorizada pelos profissionais de todo o país e neste mês de contou com 238 participantes, representando 192 empresas de todo o país. A pesquisa é realizada pela RBM – Rede Brasileira de Manutenção, desde novembro de 2011.

Essa é uma pesquisa de clima, realizada todos os meses, com a comunidade brasileira de profissionais que atuam em Manutenção e Facilities, nos mais variados segmentos da economia nacional e em todo o território brasileiro. No questionário não se pergunta nada sobre números. O interesse é saber como as pessoas estão se sentindo com relação ao seu cenário de trabalho, carreira, qualidade e expectaivas de vida.

Cenário de fevereiro de 2017
No levantamento de dezembro apurou-se que o ano de 2016 fechou com uma avaliação geral de 5,25 e o ano de 2017 começou com uma expectativa geral de nota 6,83. No mês de janeiro a expectativa para o ano de 2017 bateu os 7,44 pontos. Essa evolução indicava otimismo crescente para 2017, com um aumento dessa expectativa em 8,9%.
Lembrando que nossa referência geral de início da série foi de 6,14 para o ano de 2011 (fechamento) com expectativa de 6,92 para 2012.
Especificamente para as atividades de MANUTENÇÃO em janeiro IC (Índice de Confiança) fechou em 7,24. Comparado com o IC de dezembro, que foi de 7,11, vemos que houve um avanço de 2% no otimismo de um mês para o outro.
A pesquisa, com os dados coletados até o dia 31 de janeiro, nos indicava que haviam vagas na Manutenção em 24,5% das empresas brasileiras (média geral).

Cenário para março de 2017
Na pesquisa de dezembro, que fechou os dados de 2016, o ano foi contemplado com uma nota 5,25. E 2017 começava com uma expectativa geral de nota 6,83. O que já indicava forte otimismo de que 2017 ia ser uma época de recuperação.
Agora que o calendário já consumiu os dois primeiros meses do ano, na visão dos participantes da pesquisa, as perspectivas estão melhores ainda pois quando perguntados como 2017 vai fechar a nota já está em 7,13.
Sempre é bom lembrar que nossa referencia geral de início da série foi de 6,14 para o ano de 2011 (fechamento) com expectativa de 6,92 para 2012.

Especificamente para as atividades de MANUTENÇÃO em janeiro o IC (Índice de Confiança) estava em 7,24. Agora em fevereiro esse indicador alcançou 7,46, mostrando que a área de Manutenção segue com otimismo crescente e até maior do que em relação à empresa como um todo. A curva de indicações fechou em dezembro com 57% otimistas (notas 7 e acima).

A pesquisa també revelou que em 29% das empresas há vagas de emprego. Em contrapartida em 15% delas há um processo de enxugamento na folha de colaboradores. Esse importante índice pode ser identificado como um indicativo (ou não) da retomada da capacidade de produção dos ativos.

O IC-MRO (Índice de Confiança do Mercado MRO) registrado (finalizado) para o mês de fevereiro 2017 (expectativa de curtíssimo prazo – net promoter score) foi de -62,71 para março (-61,54 para fevereiro e -70,83 para janeiro), com distribuição de 30,5% positivos (29% positivos para a visão de fevereiro, 3% com relação a janeiro), 46% neutros (33% para fevereiro e 20% para janeiro) e 23,7% pessimistas (para fevereiro era de 38% pessimistas e 75% em janeiro).
Apesar do IC-MRO de curto prazo ter piorado levemente, a curva de distribuição mostra que o grupo de pessimistas diminuiu sensivelmente em 3 meses e a turma otimista engrossou significativamente.

Considerações quanto as expectativas de mercado para 2017:
O ano já avançou duas casas no tabuleiro da história e segue em alta a expectativa de melhora das atividades e da economia de um modo geral a medida que os meses passam. O cenário político continua sendo o ponto de maior preocupação. Mas se percebe um forte otimismo, imaginando-se que o segundo semestre será muito melhor do que o primeiro.
Na área da pesquisa onde as pessoas podem se manifestar livremente as palavras mais usadas foram: Corrupção, Política e Economia, Lava Jato e Inovação.
Como pode ser constatado na nuvem de palavras abaixo, extraída da pesquisa.

Expectativas de Mercado – Índice de Confiança – IC-MRO

Acesse no link abaixo o relatório flash da Pesquisa Nacional da RBM – Rede Brasileira de Manutenção, que mede mensalmente a confiança dos profissionais brasileiros das áreas de serviços: Manutenção Predial e Industrial, Gestão de Facilities, Engenharia (Projetos e Obras).

http://www.questionpro.com/t/PBtMqZYIAC

Para quem quiser participar da pesquisa mensal IC-MRO já contribuindo para a montagem dos números para abril, podendo comparar suas próprias opiniões com a média geral do mercado, basta responder ao questionário da pesquisa no link http://expectativasic-mro.questionpro.com. O relatório flash, que sai na hora, mostrará o retrato do dia e hora de sua participação.

 

 

 

 

Publicado por: Paulo Walter

4 Comentários


  1. Albely

    Paulo,
    Você entende que, apesar da crise política, nossa crise não é técnica?
    Conseguiremos vencer as “marolinhas” que estamos enfrentando, não é?
    Abraço!

    • Paulo Walter
      Paulo Walter

      A parte produtiva do Brasil é que segura o rojão. Se não fosse assim, imagina onde estaríamos agora.

  2. Eugênio Walter

    Muito interessante as informações contidas nesta pesquisa e o que de melhor vi foram os índices crescentes de otimismo quanto a recuperação da economia brasileira o que alavancará a retomada de contratacoes e empregos

    • Paulo Walter
      Paulo Walter

      Não há melhor indicador do que o nível de empregos. Mas sem a confiança na economia não existe, que há de investir nesse país. Vejo como excelente a sinalização que o pessoal do chão de fábrica está nos dando.