Q
Logo Manutenção.NET

Desenvolvido por CityPubli

NOTÍCIAS:

Webinar Manutenção Prescritiva e Indústria 4.0 – Canal VITEK com Júlio Nascif

Webinar Manutenção Prescritiva e Indústria 4.0 – Canal VITEK com Júlio Nascif

Amazon é a maior compradora corporativa de energia renovável do mundo pelo quarto ano consecutivo, com projetos e investimentos relevantes no Brasil

Amazon é a maior compradora corporativa de energia renovável do mundo pelo quarto ano consecutivo, com projetos e investimentos relevantes no Brasil Iniciativas aceleram o compromisso da empresa de suprir 100% de suas Operações com energias renováveis até 2025 e...

Tintas Protetivas Contra Corrosão: Prevenir ou Corrigir?

Estamos rodando uma pesquisa inédita sobre como o mercado encara e quais são as práticas correntes na Manutenção brasileira nas melhores empresas quanto ao uso e benefícios da Pintura Protetiva contra corrosão e desgastes associados. O questionário é bem objetivo e ao...

Neoindustrialização e a nova política industrial

Neoindustrialização e a nova política industrial Gino Paulucci Jr.* “O país necessita de uma política de desenvolvimento industrial integrada com as políticas de inovação e de comércio exterior, bem como com a política macroeconômica. Essas políticas devem coexistir,...

ABIMAQ abre inscrições para curso online sobre gestão de carreira

ABIMAQ abre inscrições para curso online sobre gestão de carreira Voltado a profissionais que desejam avançar e progredir suas carreiras, a ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos) realiza no próximo dia 28 de fevereiro (quarta-feira), de...

Revestimentos internos e externos em tanques de armazenamento

Revestimentos internos e externos em tanques de armazenamento são projetados para resistir às mais diversas condições e substâncias corrosivas que estão presentes no processamento de alimentos e bebidas, desempenhando um papel crucial no cumprimento dos requisitos...

Engerey amplia parceria com a Schneider para fabricação de painéis elétricos 36kV  

Engerey amplia parceria com a Schneider para fabricação de painéis elétricos 36kV   Equipamento representa um grande passo rumo à indústria 4.0 A Engerey ampliou sua parceria com a Schneider Electric para a fabricação de painéis elétricos SM6 Eco Expert MV de 36kV,...

Sumitomo Rubber Industries apresenta pneu inteligente que promete transformar a segurança e eficiência veicular

Sumitomo Rubber Industries apresenta pneu inteligente que promete transformar a segurança e eficiência veicular Anúncio ocorreu na edição 2024 da Consumer Electronics Show (CES), evento de tecnologia que aconteceu em Las Vegas, no começo de janeiro Na mais recente...

Prefeitura do Rio e Universidade de Columbia realizam seminário internacional: “Os Países do G20 e a Diplomacia dos Biocombustíveis”

Evento terá participações de Mauro Vieira, ministro das Relações Exteriores, de embaixadores da Índia e Indonésia e do cônsul dos Estados Unidos O Rio de Janeiro será palco do seminário internacional "Os Países do G20 e a Diplomacia dos Biocombustíveis", evento...

SKF lança modelo de negócio para auxiliar indústrias a mensurar e atingir metas de sustentabilidade

SKF lança modelo de negócio para auxiliar indústrias a mensurar e atingir metas de sustentabilidade Voltado à indústria como Mineração, Siderurgia, Papel e Celulose, Óleo e Gás, Alimentos e Bebidas, entre outras, o SKF Circular Service Contract é um novo tipo de...

Cartilha de eficiência energética para ar-condicionado é lançada para o setor AVACR e sociedade

Cartilha de eficiência energética para ar-condicionado é lançada para o setor AVACR e sociedade A proposta da publicação da ABRAVA é disseminar informações para donos e gestores de pequenos e médios comércios sobre a relação do uso do ar-condicionado com a eficiência...

Quatro profissões que não serão atingidas pela IA

Quatro profissões que não serão atingidas pela IA Por Jordano Rischter Será que seu emprego corre o risco de ser eliminado pela inteligência artificial? Certamente, mensurar o impacto da IA sobre o futuro do trabalho e sobre quais serão as carreiras que serão mais ou...

Especialista da Colliers fala sobre a popularização do ESG nos projetos imobiliários

Para Hélio Gallizzi, diretor nacional de serviços O&A Colliers Brasil, práticas ESG transcendem o âmbito de métricas financeiras tradicionais São Paulo, fevereiro de 2024 - ​Segundo pesquisa realizada pela Agência FIEP no Brasil em 2019, 87% dos entrevistados...

Fábrica da Librelato passa por transformação tecnológica para atender o mercado

Fábrica da Librelato passa por transformação tecnológica para atender o mercado Modernização incluiu a aquisição de novos maquinários para digitalização de processos  Fábrica de Criciúma opera com a maior célula robotizada de soldagem de chassi da América Latina desde...

Procter & Gamble apoia a transição global do código de barras 2D

Procter & Gamble apoia a transição global do código de barras 2D Presidente e CEO de uma das maiores empresas de bens de consumo no mundo incentiva migração do tradicional código de barras para o novo código 2D Novo padrão garante mais informações e...

Dois novos discos abrasivos da Starrett, indicados para cortes de inox e aço, completam a linha da indústria

Novos produtos são parte dos lançamentos da empresa em 2024 que vêm para integrar o portfólio da marca Em qualquer material, a precisão do corte é um dos diferenciais que podem ser oferecidos pelas ferramentas utilizadas, proporcionando efeitos notórios no resultado...

Como a manutenção inteligente impacta o desenvolvimento do setor com a nova política industrial do Brasil

Como a manutenção inteligente impacta o desenvolvimento do setor com a nova política industrial do Brasil Por Gabriel Pavão Com a chegada de 2024, o futuro do setor industrial vem tomando novos rumos. No início deste ano, o Governo Federal anunciou a mais recente...

Infograficos: Uma questão de arte misturada com informação

esse pessoal do Visual Capitalist sempre nos presenteia com qualidade excepcional em seus inforgraficos. Sou fã.

Lista global de líderes em transparência ambiental tem sete novas empresas brasileiras

Estruturada pelo CDP, a ‘A List’ é composta por empresas que alcançaram nota máxima na divulgação de dados ambientais e assumiram compromissos relacionados a emissões de gases de efeito estufa, desmatamento e segurança hídrica.   São Paulo, 6 de fevereiro de 2024 – O...

Siemens utiliza simulação multidisciplinar no desenvolvimento de motores de fluxo axial para a próxima geração de veículos elétricos

Siemens utiliza simulação multidisciplinar no desenvolvimento de motores de fluxo axial para a próxima geração de veículos elétricos O novo software Simcenter E-Machine Design combina simulação eletromagnética e térmica em uma única solução, ajuda a reduzir a...

Acordo com agência internacional vai acelerar a transição energética no Brasil

O Brasil deu mais um passo rumo ao protagonismo na transição energética. Nesta quarta-feira (31), o Ministério de Minas e Energia (MME) e a Agência Internacional de Energia (IEA) assinaram o Plano de Trabalho para a Aceleração da Transição Energética. A iniciativa...

Motores elétricos são responsáveis pelo consumo de 68% da energia elétrica das fábricas, diz Procel

Considerado o coração das fábricas, esses equipamentos demandam muita energia para funcionar, e se eles não estiverem em pleno funcionamento, desperdício de energia se fará presente a todo momento. Ações para otimizar desempenho e minizar consumo de energia são...
Logo Manutenção.NET

NEW

Webinar Manutenção Prescritiva e Indústria 4.0 – Canal VITEK com Júlio Nascif

Webinar Manutenção Prescritiva e Indústria 4.0 – Canal VITEK com Júlio Nascif

Amazon é a maior compradora corporativa de energia renovável do mundo pelo quarto ano consecutivo, com projetos e investimentos relevantes no Brasil

Amazon é a maior compradora corporativa de energia renovável do mundo pelo quarto ano consecutivo, com projetos e investimentos relevantes no Brasil Iniciativas aceleram o compromisso da empresa de suprir 100% de suas Operações com energias renováveis até 2025 e...

Tintas Protetivas Contra Corrosão: Prevenir ou Corrigir?

Estamos rodando uma pesquisa inédita sobre como o mercado encara e quais são as práticas correntes na Manutenção brasileira nas melhores empresas quanto ao uso e benefícios da Pintura Protetiva contra corrosão e desgastes associados. O questionário é bem objetivo e ao...

Neoindustrialização e a nova política industrial

Neoindustrialização e a nova política industrial Gino Paulucci Jr.* “O país necessita de uma política de desenvolvimento industrial integrada com as políticas de inovação e de comércio exterior, bem como com a política macroeconômica. Essas políticas devem coexistir,...

ABIMAQ abre inscrições para curso online sobre gestão de carreira

ABIMAQ abre inscrições para curso online sobre gestão de carreira Voltado a profissionais que desejam avançar e progredir suas carreiras, a ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos) realiza no próximo dia 28 de fevereiro (quarta-feira), de...

Revestimentos internos e externos em tanques de armazenamento

Revestimentos internos e externos em tanques de armazenamento são projetados para resistir às mais diversas condições e substâncias corrosivas que estão presentes no processamento de alimentos e bebidas, desempenhando um papel crucial no cumprimento dos requisitos...

Engerey amplia parceria com a Schneider para fabricação de painéis elétricos 36kV  

Engerey amplia parceria com a Schneider para fabricação de painéis elétricos 36kV   Equipamento representa um grande passo rumo à indústria 4.0 A Engerey ampliou sua parceria com a Schneider Electric para a fabricação de painéis elétricos SM6 Eco Expert MV de 36kV,...

Sumitomo Rubber Industries apresenta pneu inteligente que promete transformar a segurança e eficiência veicular

Sumitomo Rubber Industries apresenta pneu inteligente que promete transformar a segurança e eficiência veicular Anúncio ocorreu na edição 2024 da Consumer Electronics Show (CES), evento de tecnologia que aconteceu em Las Vegas, no começo de janeiro Na mais recente...

Prefeitura do Rio e Universidade de Columbia realizam seminário internacional: “Os Países do G20 e a Diplomacia dos Biocombustíveis”

Evento terá participações de Mauro Vieira, ministro das Relações Exteriores, de embaixadores da Índia e Indonésia e do cônsul dos Estados Unidos O Rio de Janeiro será palco do seminário internacional "Os Países do G20 e a Diplomacia dos Biocombustíveis", evento...

SKF lança modelo de negócio para auxiliar indústrias a mensurar e atingir metas de sustentabilidade

SKF lança modelo de negócio para auxiliar indústrias a mensurar e atingir metas de sustentabilidade Voltado à indústria como Mineração, Siderurgia, Papel e Celulose, Óleo e Gás, Alimentos e Bebidas, entre outras, o SKF Circular Service Contract é um novo tipo de...

Cartilha de eficiência energética para ar-condicionado é lançada para o setor AVACR e sociedade

Cartilha de eficiência energética para ar-condicionado é lançada para o setor AVACR e sociedade A proposta da publicação da ABRAVA é disseminar informações para donos e gestores de pequenos e médios comércios sobre a relação do uso do ar-condicionado com a eficiência...

Quatro profissões que não serão atingidas pela IA

Quatro profissões que não serão atingidas pela IA Por Jordano Rischter Será que seu emprego corre o risco de ser eliminado pela inteligência artificial? Certamente, mensurar o impacto da IA sobre o futuro do trabalho e sobre quais serão as carreiras que serão mais ou...

Especialista da Colliers fala sobre a popularização do ESG nos projetos imobiliários

Para Hélio Gallizzi, diretor nacional de serviços O&A Colliers Brasil, práticas ESG transcendem o âmbito de métricas financeiras tradicionais São Paulo, fevereiro de 2024 - ​Segundo pesquisa realizada pela Agência FIEP no Brasil em 2019, 87% dos entrevistados...

Fábrica da Librelato passa por transformação tecnológica para atender o mercado

Fábrica da Librelato passa por transformação tecnológica para atender o mercado Modernização incluiu a aquisição de novos maquinários para digitalização de processos  Fábrica de Criciúma opera com a maior célula robotizada de soldagem de chassi da América Latina desde...

Procter & Gamble apoia a transição global do código de barras 2D

Procter & Gamble apoia a transição global do código de barras 2D Presidente e CEO de uma das maiores empresas de bens de consumo no mundo incentiva migração do tradicional código de barras para o novo código 2D Novo padrão garante mais informações e...

Dois novos discos abrasivos da Starrett, indicados para cortes de inox e aço, completam a linha da indústria

Novos produtos são parte dos lançamentos da empresa em 2024 que vêm para integrar o portfólio da marca Em qualquer material, a precisão do corte é um dos diferenciais que podem ser oferecidos pelas ferramentas utilizadas, proporcionando efeitos notórios no resultado...

Como a manutenção inteligente impacta o desenvolvimento do setor com a nova política industrial do Brasil

Como a manutenção inteligente impacta o desenvolvimento do setor com a nova política industrial do Brasil Por Gabriel Pavão Com a chegada de 2024, o futuro do setor industrial vem tomando novos rumos. No início deste ano, o Governo Federal anunciou a mais recente...

Infograficos: Uma questão de arte misturada com informação

esse pessoal do Visual Capitalist sempre nos presenteia com qualidade excepcional em seus inforgraficos. Sou fã.

Lista global de líderes em transparência ambiental tem sete novas empresas brasileiras

Estruturada pelo CDP, a ‘A List’ é composta por empresas que alcançaram nota máxima na divulgação de dados ambientais e assumiram compromissos relacionados a emissões de gases de efeito estufa, desmatamento e segurança hídrica.   São Paulo, 6 de fevereiro de 2024 – O...

Siemens utiliza simulação multidisciplinar no desenvolvimento de motores de fluxo axial para a próxima geração de veículos elétricos

Siemens utiliza simulação multidisciplinar no desenvolvimento de motores de fluxo axial para a próxima geração de veículos elétricos O novo software Simcenter E-Machine Design combina simulação eletromagnética e térmica em uma única solução, ajuda a reduzir a...

Acordo com agência internacional vai acelerar a transição energética no Brasil

O Brasil deu mais um passo rumo ao protagonismo na transição energética. Nesta quarta-feira (31), o Ministério de Minas e Energia (MME) e a Agência Internacional de Energia (IEA) assinaram o Plano de Trabalho para a Aceleração da Transição Energética. A iniciativa...

Motores elétricos são responsáveis pelo consumo de 68% da energia elétrica das fábricas, diz Procel

Considerado o coração das fábricas, esses equipamentos demandam muita energia para funcionar, e se eles não estiverem em pleno funcionamento, desperdício de energia se fará presente a todo momento. Ações para otimizar desempenho e minizar consumo de energia são...

 

manutencao.net-Petrobrasmudancas-estrategicas-podem-produzir-resultados-adversos.jpg-1.jpg

Por Felipe Kury

Sherwin Willians

Conforme esperado, a transição de governo trouxe novos horizontes e mudanças na estratégia da Petrobras. Na gestão anterior, existia um esforço contínuo na privatização de algumas estatais, principalmente, aquelas não estratégicas e/ou em situação financeira desfavorável – muitas, sem performar por décadas. Sem dúvida, a principal motivação das privatizações ainda está relacionada à diminuição do tamanho do estado brasileiro, redução das despesas do governo e equilíbrio fiscal, com a consequente diminuição da presença do estado em certos setores da economia. No caso da Petrobras, a inciativa de privatizar certos segmentos foi mais em linha com a ideia de abrir espaço para o setor privado investir, inovar e fomentar a criação de um mercado mais competitivo, aberto e dinâmico nos setores não necessariamente estratégicos para a empresa.

Com o início de um novo governo, surge uma orientação, contrária à do governo anterior, em que se busca preservar e/ou expandir a presença do estado como protagonista em vários setores estratégicos da economia. Neste novo contexto, a Petrobras, por ter uma posição de destaque no Brasil e no mundo, abarca grandes mudanças em sua estratégia. Entretanto, incorrendo em riscos estratégicos, operacionais e financeiros, com possibilidade de resultados adversos indesejados.

Na administração anterior, a Petrobras vinha dedicando maior foco e investimentos em negócios estratégicos e em linha com suas principais competências com o objetivo de alcançar maiores retornos para os acionistas, diminuir sua alavancagem financeira e obter melhor eficiência operacional. Sendo assim, tinha como principal missão concentrar recursos e atenção em atividades com mais retorno econômico e onde tinha maior expertise, tais como exploração e produção de petróleo e gás natural em águas profundas e ultra profundas – principalmente na região do pré-sal e margem equatorial.

Além disso, a empresa iniciou um processo de desinvestimentos de ativos não estratégicos: no downstream (distribuição e revenda de combustíveis), principalmente com a venda da BR Distribuidora (hoje, Vibra Energia), Liquigás, entre outros do segmento; no midstream (Refino/Gás Natural), com venda de 50% do parque de refino e ativos de transporte de gás natural e; no upstream (exploração e produção), desinvestimentos em áreas terrestres e em águas rasas, entre outros ativos.

Em linha com esta estratégia, em meados de 2019, a empresa firmou com o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), um Termo de Cessação de Conduta (TCC) com o objetivo de possibilitar a criação de um mercado mais aberto, dinâmico e competitivo nos diversos segmentos em que atuava – a ideia era de que a Petrobras pudesse reduzir e/ou sair por completo de diversos segmentos do mercado, abrindo espaço para outros agentes.

Portanto, resta entender qual será o direcionamento do CADE nesta questão, já que, recentemente, a empresa manifestou interesse em rever os termos do TCC firmado e, ainda, de fato, exerce o monopólio em vários segmentos, o que estaria em desacordo com as próprias diretrizes do CADE de fomentar a competividade nos segmentos objeto do TCC e proporcionar benefícios à sociedade.

Outra questão bastante sensível e importante são os desinvestimentos da Petrobras na exploração e produção de petróleo e gás natural em áreas terrestres e águas rasas, que precisam de uma melhor definição por parte dos reguladores e da própria empresa. No passado não muito distante, a empresa havia decidido seguir em frente com os desinvestimentos de todos os ativos nestes ambientes, abrindo espaço para a entrada de empresas independentes nacionais e estrangeiras, com maior foco e expertise nestes ambientes, aumentando a produtividade, estimulando a competitividade e novos investimentos no setor.

O ambiente de negócios na produção de petróleo e gás natural em áreas terrestres, desde o reposicionamento (decisão de desinvestir) da Petrobras, vinha passando por grandes transformações, revitalizando o setor, principalmente, em regiões onde existia estagnação e/ou declínio na produção. A produção nacional de petróleo e gás nessas áreas corresponde a cerca de 5% do total e, nos últimos anos, percebeu um incremento expressivo no número de operadores, passando de 37, em 2016, para 55, em 2023. Da mesma forma, a produção nessas áreas vem avançando de forma expressiva. Segundo estimativas da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), a produção deve saltar de 205 mil (boe/d), em 2022, para 240 mil (boe/d), em 2023 e, 253 mil (boe/d), em 2024.

Este avanço, somente foi possível pelo desenvolvimento de políticas públicas e regulação adequadas em colaboração com a própria indústria, em especial, como resultado do reposicionamento da empresa. Contudo, uma questão fica em aberto: será que a Petrobras realmente precisa operar pequenos/médios campos de produção de petróleo e gás natural em áreas terrestres?

Recentemente, a empresa comunicou ao mercado o encerramento dos processos de desinvestimento do Polo Urucu, Polo Bahia Terra, Campo de Manati e da Petrobras Operaciones S.A. (subsidiária da Petrobras na Argentina). O objetivo é maximizar o valor do portfólio com foco em ativos mais rentáveis, repor a reservas de óleo e gás, inclusive, com a exploração de novas fronteiras, aumentar a oferta de gás natural e promover a descarbonização das operações. Este comunicado demonstra que a empresa tem a intenção de fortalecer sua posição monopolista, com impacto direto na competitividade do setor e, inibindo novos investimentos privados, o que impacta negativamente a sociedade.

Talvez, uma melhor alternativa seria a Petrobras estabelecer parcerias com as empresas independentes e especializadas neste segmento, que certamente teriam maior foco e incentivos para aumentar a produtividade destes campos e, sem dúvida, teriam maior eficiência nas campanhas exploratórias. Desta forma, a Petrobras não precisaria, efetivamente, operar estes campos, mas participar de forma indireta com toda sua expertise e, eventualmente, como investidora.

Outra mudança de estratégia bem importante diz respeito à política de preços de combustíveis. A empresa continua considerando os preços internacionais e o câmbio, mas incorpora novas variáveis nos seus cálculos, como as alternativas para o suprimento e o valor marginal da petroleira. Em parte, faz sentido, especialmente, se o objetivo fosse se tornar mais competitiva e preservar suas margens no negócio. Outro ponto relevante é a tentativa de reduzir a volatidade dos preços domésticos em relação ao mercado internacional que, em tese, poderia favorecer os consumidores domésticos, além de atenuar os efeitos dos preços dos combustíveis na inflação.

Entretanto, tem-se observado que, na prática, a nova política tem provocado um deságio nos preços de combustíveis – que podem trazer prejuízos financeiros semelhantes ao ocorrido no passado recente. Como exemplo, os preços da gasolina e diesel na refinaria nacional seguem apresentando defasagem negativa em comparação com a referência internacional, o que inviabiliza a importação por outros agentes do mercado. Assim sendo, cria-se um ambiente de imprevisibilidade e insegurança não apenas para os importadores, mas também para outros produtores nacionais, que passam a não ter uma referência para definir seus preços.

A nova política de preços tem apresentado continuamente defasagens em relação aos preços internacionais. E, podendo, inclusive, causar descontinuidades no abastecimento nacional, uma vez que o país tem uma dependência externa de cerca de 30% para o diesel e 14% para gasolina, respectivamente, além de outros produtos derivados, como QAV (querosene de aviação) e NAFTA. Outro ponto não menos importante, diz respeito aos impactos financeiros negativos que a nova política pode provocar, especialmente, se o governo tentar usar a Petrobras como instrumento de política pública – a história recente nos mostrou que tal iniciativa pode ter consequências desastrosas para empresa e para a sociedade.

De outro lado, algumas iniciativas estratégicas contam bastante a favor da empresa como, por exemplo, a sua postura mais assertiva na questão da transição energética e em relação a seu posicionamento ASG (Ambiental, Social e Governança). Segundo o plano estratégico (2023-2027), existe a ambição de perseguir uma trajetória para neutralidade de emissões operacionais até 2050, buscando produtos e negócios com menor intensidade de carbono, utilizando créditos de alta qualidade como estratégia complementar e inovação para soluções em energia e descarbonização. A empresa planeja investir cerca de USD 4,4 bilhões (6,6 % do CAPEX) em atividades de descarbonização, biorefino e pesquisas na área.

Adicionalmente, a Petrobras tem intenção de investir em novos negócios de energia renovável e/ou descarbonização, como hidrogênio verde, eólica offshore e tecnologias de captura de carbono. Um exemplo importante desta intenção foi o acordo de cooperação celebrado com a empresa Equinor para avaliar a viabilidade técnico-econômica e ambiental de sete projetos de geração de energia eólica offshore na costa brasileira, com potencial para gerar até 14,5 GW. Outra iniciativa igualmente importante, foi a assinatura de um acordo de cooperação técnica por dois anos (confidencial e não vinculante) com a Unigel para analisar negócios conjuntos nas áreas de fertilizantes, hidrogênio verde e projetos de baixo carbono.

A Petrobras, como diversas empresas do setor, pavimenta o seu caminho para se tonar uma empresa de energia com diversificação do seu portfólio, contribuindo para o sucesso da transição energética e para a redução das emissões operacionais de gases de efeito estufa. Porém, a questão central é o que faz mais sentido para a Petrobras no longo prazo. A empresa precisa de uma estratégia com um sistema de geração de valor que reforce sua posição competitiva e atributos únicos, ancorada em um propósito claro, transparente e que defina em quais segmentos irá competir. É importante definir onde, como operar e o que pretende alcançar. A experiência mostra que o monopólio não produziu resultados efetivos em muitos segmentos. Retomar a estratégia representa um enorme retrocesso com efeitos nocivos para o mercado e para o Brasil.

Felipe Kury é ex-diretor da ANP – Agência Nacional de Petróleo e Managing Partner na FK Energy Partners.

Fonte:Nathalia Bellintani

Sherwin Willians
×
Sherwin Willians