CityPubli 750 x 120
oferecimento
Esqueci minha senha
Avatar photo

Gestão Estratégica de Negócios

Paulo Walter

 

TEMPO DE SOFRER, TEMPO DE APRENDER, TEMPO DE RENASCER

- 29/11/2008

Mensagem do Davi – CO Brusque, uma das regiões do Vale do Itajaí atingida pelas enchentes no estado de Santa Catarina.

In-Haus 750x120

Meus amigos,

Hoje 27 de novembro de 2008 o sol saiu e conseguimos voltar a trabalhar. A despeito de brincadeiras e comentários espirituosos normais sobre esta “folga forçada” a verdade é que nunca me senti tão feliz de voltar ao trabalho. Não somente pelo trabalho, pela instituição e pela própria tranqüilidade de ter aonde ganhar o pão, mas também por ser um sinal de que a vida está voltando ao normal aqui no nosso vale do Itajaí e toda a nossa região : Brusque, Blumenau, Balneário, Gaspar, etc…etc…etc….

As fotos que circulam na internet e os telejornais já nos dão as imagens claras de tudo que aconteceu então não vou me estender narrando e descrevendo as cenas vistas nestes dias. Todos vocês já sabem de cor. Eu quero mesmo é falar sobre lições aprendidas.

Por mais que teorias e leituras mil nos falem sobre isso ainda é surpreendente presenciar como uma tragédia desse porte pode fazer aflorar no ser humano os sentimentos mais nobres e os seus instintos mais primitivos. As cenas e situações vividas neste final de semana prolongado em todo o vale do Itajaí, nos fizeram chorar de alegria, raiva, tristeza e impotência. Fizeram-nos perder a fé no ser humano num segundo, para recuperar-la no seguinte. Fez-nos ver que sempre alguém se aproveitará da desgraça alheia, mas que também é mais fácil começar de novo quando todos se dão as mãos.

Que aquela entidade superior que cada um acredita (Deus, Jeová, Jesus,  Alá, Buda, etc.) e da forma que cada um a concebe tenha piedade daqueles:

– Que se aproveitaram a situação para fazer saques em Supermercados, levando principalmente bebidas (uísque principalmente) e cigarros

– Que saquearam uma farmácia levando medicamentos controlados, equipamentos e cofres e destruindo os produtos de primeira necessidade que ficaram assim como a estrutura física da mesma.

– Que pediram 3 reais por um humilde pãozinho num moemento em que não se tinha nada para comer

– Que pediam 5 reais por um litro de água mineral.

– Que chegaram a pedir 150 reais por um botijão de gás.

– Que cobraram 5 reais o litro da gasolina para pessoas que usavam seus carros para socorrer outros em pior situação

– Que foram pedir donativos de água e alimentos nas áreas secas pra vender nas áreas alagadas.

– Que foram comer e pegar roupas nos centros de triagem mesmo não tendo suas casas atingidas.

– Que esperaram as pessoas saírem das suas casas para roubarem o que restava.

– Que fizeram pessoas dormir em telhados e lajes com frio e fome para não ter suas casas saqueadas ou “muito cheias de gente”….

– Que não sentiram preocupação por ninguém, e, com certeza, algo está errado em seu coração.

– Que simplesmente fizeram de conta que nada acontecia, por estarem em áreas secas.

 Da mesma forma, que essa mesma entidade superior abençoe:

– Aqueles que atenderam ao chamado das rádios e se apresentaram no domingo no quartel dos bombeiros para ajudar de qualquer forma.

– Os bombeiros que tiveram paciência com a gente no quartel para nos instruir e nos orientar nas atividades que devíamos desenvolver.

– A turma das lanchas, os donos das lanchinhas de pescarias de fim de semana que rapidamente trouxeram seus barquinhos nas suas carretas e fizeram tanta diferença.

– À equipe da lancha, gente sensacional que parecia que nos conhecíamos de toda uma vida.

– Aos soldados do exército do Paraná e do Rio Grande do Sul.

– Aos bravos gaúchos, tantas vezes vitimas de nossas brincadeiras que trouxeram caminhões e caminhões de mantimentos.

– Aos cadetes da Academia da Polícia Militar que ainda em formação se portaram com veteranos.

– Aos Bombeiros e Policias locais que resgataram, cuidaram , orientaram e auxiliaram de todas as formas, muitas vezes com as suas próprias casas embaixo das águas.

– Aos Médicos Voluntários.

– Às enfermeiras Voluntárias.

– Aos bombeiros do Paraná que trabalharam ombro a ombro com os nossos.

– Aos Helicópteros da Aeronáutica e Exercito que fizeram os resgates nos locais de difícil acesso.

– Aos incansáveis do SAMU e das ambulâncias em geral, que não tiveram tempo nem pra respirar.

– Ao pessoal do Helicóptero da Polícia Militar de São Paulo, que mostrou que longo é o braço da solidariedade.

– Ao pessoal das rádios que manteve a população informada e manteve a esperança de quem estava isolado em casa.

– Aos estudantes que emprestaram seus físicos para carregar e descarregar caminhões nos centros de triagem.

– Às pessoas que cozinharam para milhares de estranhos.

– Ao empresário que não se identificou e entregou mais de mil marmitex no centro de triagem.

– A todos que doaram nem que seja uma peça de roupa.

– A todos que serviram nem que seja um copo de água a quem precisou.

– A todos que oraram por todos.

– Ao Brasil todo, que chorou nossos mortos e nossas perdas.

– Aos novos amigos que fiz no centro de triagem, na segunda-feira.

– A todos aqueles que me ligaram preocupados com a gente.

– A todos aqueles que ainda se preocupam por alguém.

– A todos aqueles que fizeram algo, mas eu não soube ou esqueci.

– Aos vários caminhoneiros e algumas transportadoras que cederam e ainda cedem espaços nos caminhões para transportar água, comida e roupa para tanta gente que perdeu tudo que tinha….

 É hora de recomeçar, e talvez seja hora de recomeçar não só materialmente. Talvez seja uma boa oportunidade de renascer, de se reinventar e de crescer como ser humano.

Pelo menos é a minha hora, acredito.

Que Deus abençoe a todos.

 De um dos moradores do Vale do Itají que sofreu a pior enchente em toda a sua história e com certeza também a pior enchente da história do Brasil…..

In-haus 650x380
Publicado por: Paulo Walter

1 Comentário


  1. Juliana Pires

    Linda mensagem!
    São nessas tragédias que as pessoas percebem que responsabilidade social é um dever de todos, o governo sozinho não vai conseguir reconstruir a vida de tantas pessoas, o povo inteiro tem que dar as mãos para que possamos começar denovo. E essas pessoas mal intencionadas que se aproveitam desse momento difícil que tantas famílias estão passando, com certeza Deus suprirá todas as necessidades das famílias afetadas pela enchente. O mais importante é que as pessoas boas estão fazendo o bem e isso faz toda a diferença na vida de muita gente.

    Beijão!!!

× Converse no WhatsApp
monteeuse 750x120