monteeuse 750x120
oferecimento
Esqueci minha senha
Avatar photo

Gestão Estratégica de Negócios

Paulo Walter

 

Os 8 maiores erros que você não pode cometer na Gestão de Contratos de Serviços

- 28/03/2016

Seja lá o que você ou eu façamos em termos profissionais, para o sucesso ou insucesso, os fatores que nos afetam são: o mercado, a tecnologia, a informação, a concorrência, as parcerias, os acionistas e a legislação (governo).

monteeuse 750x120

Na gestão de serviços, seja lidando com contratos (serviços de terceiros) ou equipes próprias, há duas formas de se fazer as coisas acontecerem de forma positiva:

– Encarar pelo lado do acerto ou sucesso, seguindo as regras básicas (procedimentos) para se chegar ao êxito desejado. Ou

– Encarar pelo lado do possível insucesso a se evitar, aplicando as experiências vividas em fracassos anteriores.

Em inglês o pessoal chama isso de lista dos “Do/Dont”. Algo na linha do “faça assim, não faça assim”. Minha dica de hoje contempla a lista de erros a se evitar, fruto de experiência pessoal amargada de fato.

Resumidamente, aqui vão os 8 principais erros a se evitar na Gestão de Contratos de Serviços:

Primeiro Erro – Não conhecer profundamente o seu próprio negócio ou área de responsabilidade. Refiro-me ao ambiente onde as coisas acontecem, a geografia (cenário, terreno) de onde a coisa acontece, as operações em si e os clientes. Se você não domina seu próprio território, é bem provável que desperdice energias e recursos na velocidade errada, na direção errada, exigindo de seus contratados o que nem você sabe ao certo.

Segundo Erro – Não saber o escopo do que está contratado. Se o contrato não foi especificado por você e o fornecedor também não foi você quem escolheu, de nada vai adiantar brigar com o passado, se algo não está como deveria ser ou você pensa que não deveria ser. O que está contratado é o que pode e deve ser executado e cobrado. Mais ou menos que isso só trará desgaste na relação operacional do dia a dia. Podendo ainda trazer muitas dores de cabeça futuras se ensejar ações de ressarcimento em instancia fora da relação da Operação.

Terceiro Erro – Não dominar os números. A frase parece meio usada, mas há que relembrar sempre: o que não se mede, não se gerencia! Quem não domina os números, não domina o serviço, não saberá de fato qual o resultado do contrato. Muitos gestores de contratos têm inúmeras competências técnicas. Fracassam, no entanto, porque ignoram ou desprezam os indicadores, os valores ($) em questão, a aceitação de que o fornecedor tem direito ao seu lucro. A gestão inclui a visão correta de números relacionados a gestão de fluxo de caixa, gastos, riscos, receitas, satisfação dos clientes e o valor do esforço envolvido.

Quarto Erro – Não ter metas claras para o serviço. Não comece sem ter um bom plano de trabalho. Serve para você, serve para seu contratado. Não duvide: se você não sabe exatamente o que quer, é bem provável que fracasse. Se você deseja receber um bom trabalho, seja claro e compartilhe com parceiros e colaboradores quais são os desafios, os objetivos e as metas.

Quinto Erro – Não acompanhe a execução dos serviços. Muita gente erra ao pensar que fiscalizar é a mesma coisa que medir. Fiscalizar significa acompanhar o que está sendo feito, como e quando está sendo entregue. Medição é quando a fiscalização dá o OK para o que foi realizado. Fiscalizar, convenhamos, não é aparecer para ver como as coisas foram, depois do acontecido.

Sexto Erro – Não envolver as pessoas e não liderar pelo coletivo. Isso vale para qualquer organização humana, quanto mais em se tratando de gestão de serviços, onde as pessoas estão no cerne da coisa. Serviços são feitos por pessoas para pessoas. Importante lembra que liderar não é exercer o poder de forma autocrática e sem critério. Liderar em Gestão de Contratos de Serviços é representar a empresa contratante, fazendo o melhor para facilitar o sucesso operacional do fornecedor, para satisfação dos clientes usuários dos serviços.

Sétimo Erro – Não definir as prioridades (classificação) dos serviços. O dia a dia de nossas empresas acontece com uma infinidade de serviços sendo prestados ao mesmo tempo. É mais que saudável saber no que cada serviço contribui para a disponibilidade dos equipamentos e ativos, para a não interrupção das atividades da empresa. Uma análise de Pareto pode lhe ser muito útil para saber onde deve estar seu foco e a maior parte da sua energia.

Oitavo Erro – Não ter visão de longo prazo e parceria. O sucesso das empresas, em grande parte, depende de constância, de regularidade e de planejamento na relação com bons fornecedores. E sabemos que construir o futuro da organização é a missão maior da liderança. Massacrar os contratados, correndo o risco de fragiliza-los ou mesmo elimina-los, pode lhe trazer o dissabor de descobrir que os bons fornecedores se foram e suas opções ficaram restritas a um elenco ruim de opções.

A boa administração de serviços, grande parte deles contratados externamente, é hoje primordial para a sobrevivência das empresas de todos os segmentos.

Esses e outros temas são abordados no Curso Gestão de Serviços – Melhores Práticas.

Não se esqueça de deixar seu comentário sobre este texto. A troca de experiencias ajuda a melhorar o trabalho de todos nós.

Abraços

Paulo Walter
Consultor em Gestão de Serviços
paulo.roberto@limawalter.com.br
Twitter: @manutencaonet
http://www.facebook.com/manutencao.net
www.manutencao.net
www.limawalter.com.br

Logo Tecnofink

In-haus 650x380
Publicado por: Paulo Walter

Nenhum comentário ainda


× Converse no WhatsApp
monteeuse 750x120