CityPubli 750 x 120
oferecimento
Esqueci minha senha

Crônicas do Chão de Fabrica

cronicas

 

Meu Personagem da Semana – Ciço

- 17/09/2008

Ciço era de origem Cícero da Silva.
Era o Lubrificador da equipe de manutenção.
Não gostava que dissessem que ele era o “beija-flor”, aquele que ia de máquina em máquina, com seu carrinho, colocando óleo aqui e graxa acolá.
Aliás ele fazia era isso mesmo. Espalhava óleo e graxa.
Analfabeto, só gastava uma folha por quinzena do seu talão de cheque. Chegado o dia do pouca coisa era eu quem preenchia o valor e ele desenhava a assinatura e se dirigia feliz à agencia do banco retirando tudo o que fosse possível de seu salário, sem encerrar a conta.
Ciço era o lubrificador fazia tempo. Conhecia os seis tipos de óleo que se utilizava na fábrica pelo cheiro (sic) e, na opinião dele, graxa era tudo igual. Aliás tinha a preta e a branca.
E fazia seu trabalho com disciplina. Colocava óleo ou graxa onde lhe pediam.
Assim era a lubrificação e assim era o trabalho do Ciço.
Quando resolvemos (fui contratado para isso) fazer a implantação da manutenção preventiva priorizei a lubrificação. Decisão óbvia, pois mesmo sem histórico, sabia-se que 80% das falhas tinham origem na lubrificação (falta, excesso, inadequação, etc.).
Treinei o Ciço e mais o Raimundo, porque o que estava em curso exigia um trabalho de fundo, com aspectos de limpeza, organização e conhecimento do que se estava fazendo, incluindo os operadores das máquinas.
Não deu outra. Depois de um investimento inicial, o resultado apareceu.
As máquinas começaram a ter muito mais disponibilidade, caiu a taxa de falhas e os problemas começaram a ser de outra ordem, exigindo a chamada continuidade de mudanças. (Lembra do Josiel?)
De cada ação resulta uma nova realidade.
E aí vem o caso do Ciço que queria contar.
Dada a repercussão do bom trabalho na lubrificação, a gerencia me liberou uma premiação especial para os dois lubrificadores. No aumento anual eles receberam um bônus de 22%. Incrível, mas verdade.
Ciço passou a ganhar um salário que não imaginava ter, já que seu horizonte não lhe mostrava nenhuma possibilidade.
E tudo tem consequências.
Ciço, nordestino valente, franzino mas cheio de saúde, com mais dinheiro no bolso, resolveu ter uma namorada, com casa montada e tudo. O problema é que a esposa dele, acho, não gostou da idéia.
E a coisa foi ficando preta e não deu outra.
Num dia de pagamento quinzenal, aparece na minha sala um Ciço esbaforido. Além do preenchimento do cheque, precisava de um favor especial. Muito especial.
Na porta principal da fábrica, esperando pelo nosso Ciço estavam as duas “companheiras”, cada uma com sua bolsa de feira, esperando pelo nosso azeitado lubrificador, para irem exatamente fazer compras pra casa. Suas respectivas casas, naturalmente. Era dia de pagamento e a despensa e a geladeira não podiam continuar vazias.
E o favor que o Ciço queria era simples: Autorização e ajuda para pular o muro dos fundos. Se comprometia a bater o ponto, mas precisava fugir.
Fiquei, como não podia deixar de ser, surpreso e sem ação.
Perguntei ao Ciço, depois de preencher o cheque solitário:
– Mas, depois de pular o muro, o que voce vai fazer? Para onde vai? Para qual casa? E amanhã? Como fica? E quem vai avisa-las de que voce já saiu?
A resposta veio rápida.
– Uma coisa de cada vez. Primeiro tenho que sair daqui. Depois vejo o que faço. E voce pode ir pensando no que vamos fazer.
Sem entender, perguntei:
– Nós? Porque nós? O que tenho a ver com isso?
– Você me deu aumento de salário. Não fosse isso eu não tinha nenhum desses problemas agora pra resolver. Você bagunçou minha vida, tem que me ajudar a resolver também.
É óbvio que não ajudei o Cícero a pular o muro.
Mas ele deu seu jeito.
E eu ganhei uma bela lição quem me ajudou e muito para outras situações que enfrentei depois.
E fica aí a história deste personagem. A boa lubrificação pode trazer muitos desdobramentos.

CityPubli 750 x 120
In-haus 650x380
Publicado por: cronicas

12 Comentários


  1. Klai

    Mais uma boa história que pode ser aproveitada no dia-a-dia.

  2. Waldir de Castro

    Gostei. Bons exemplos que se devidamente observados no conteúdo, serão de grande proveito.

  3. Jamile Gomes

    Tem coisa mais gostosa do que ler crônicas? Ainda mais estas, com um toque de humor e um temperinho de boa técnica e informações. Exemplos pláticos de uma boa gestão. Ambas retrataram a dificuldade de “mudanças”. Realmente incrivel como o ser humano tem barreiras e aversão a tudo que é novo!
    Cíço foi engraçado. Imaginei vc preenchendo o cheque dele e a reação sua ao receber a solicitação de “uma mãozinha” dele! Não sei se é pelo fato de ser mãe de professora que tenho essa imaginação fértil, só sei que ri .. e é claro .. control C control V no outlook e “send to interno@softexpert.com” – risos!

  4. Nilton Bráz

    Observa-se com a historia do grande lubrificador Ciço que assim como ganhar um aumento de sálario, o mesmo acontece com as oportunidades na vida profissional e pessoal,quando vem é necessário estarmos sempre preparados para que ela seja aproveitada da melhor maneira possível.
    Estas historias de chão de fábrica são de grande importancia, ajudando para que nossa caminhada seja cada vez mais produtiva.

  5. Nicodemos Lima

    Convivemos no nosso cotidiano com muitas figuras tipo Ciço. Como gestores, devemos procurar acompanhar e avaliar até que ponto problemas externos podem estar influenciando na produtividade de nossos liderados. Procurando apoio junto aos setor de RH para solução destes problemas.

  6. Malu Machado

    Como diz o ditado: “quem nunca comeu melado, quando come, se lambuza!”.

  7. Luiz Antonio da Silva

    Bom dia !!

    Li sobre a Lei de Josiel e sobre o caso do Ciço, achei muito interessante os dois casos , e até acredito que possa ter pessoas como tal dentro de empresas.
    Mas o que me chamou a atenção nos dois casos foram os erros de português que existem nos dois textos .
    Obs. Atribua como uma crítica construtiva , tenho certeza que não a pessoa ideal para fazer está crítica , pois também erro bastante .

    Att

    Luiz Antonio

  8. Fabio

    Impressionante!
    Uma história muito semelhante aconteceu aqui na empresa onde trabalho. Só que o funcionário pediu para dormir na casa do chefe.

  9. Israel Ribeiro

    Interessante o personagem Ciço e sabemos que existem muitos Ciço trabalhando .
    Mas o ponto forte e muito importante para manutenção de equipamentos esta na lubrificação correta , no tempo correto e na medida correta.
    Como foi demonstrado os resultados aparecem , diminuindo as falhas.
    Como experiência fiz alguns treinamentos internos convidando empresas fornecedoras de lubrificantes para ministrar o curso envolvendo a manutenção e tambem o pessoal de operação , e o resultado foi bastante positivo pois as pessoas ficaram mais envolvidas com o aspecto lubrificação dos equipamentos.
    Quanto ao Ciço, talvez as mudanças que hoje as empresas estão aplicando com relação Fair Play , os funcionários comecem a levar esta filosofia da empresa para seus lares.

  10. MARCOS BATISTA

    Gostei muito dessa crônica. Ela me faz lembrar um encarregado de produção no qual trabalhamos juntos e não conseguiu se adequar na implantação do 5S da METAZIL, pou seja, não se preparou para tal e ainda faz parte do COMITÊ.

  11. Wagner Barros da Silva

    Sim.esta crônica deixa algo claro:Não podemos melhorar somente a parte da otimização das tarefas diárias de um profissional ou à equipe em si, porém a qualidade de vida e a conscientização de como vida deve ser administrada após mudanças.Tudo deve ser gradual.Investir também no lado humano é fundamental.

  12. ALBANO

    É ISSO AI VALTER, SUAS CRÔNICAS NOS ABREM VÁRIOS HORIZONTES, ANTES DE TOMARMOS ALGUMAS DECISÕES QUE PARECEM SIMPLES, TEMOS QUE ANALIZAR O TODO E AS CONSEQUENCIAS, ATÉ AS INIMAGINÁVEIS, SUA CRONICA ESTÁ RICA EM LIÇÃO E COMUNICAÇÃO………PARABENS DO AMIGO ALBANO

× Converse no WhatsApp
In-Haus 750x120