oferecimento
Esqueci minha senha

Crônicas do Chão de Fabrica

cronicas

 

Lições do Banho de Rio ou Pato novo não dá mergulho fundo

- 27/03/2010

Se beber não dirija. Nem tome banho de rio.
No verão, no interior, a garotada se esbalda. E de mergulho em mergulho, de braçada em braçada a gente vai aprendendo um monte. Os banhos no Rio Pomba, lá em Guarani, na Zona da Mata de Minas Gerais, em tempos de férias escolares, são daquelas memórias indeleveis que fazem a vida ter um sabor de pão doce com mortadela.

Meu primeiro mergulho no Pomba foi inesquecivel. Tomei distancia e dei um salto ornamental. Garoto da cidade grande, nadador do Botafogo com algumas medalhas pra exibir, queria mostrar para os caipiras como é que era o “estilo”.
Me dei mal, como era de se prever. Fui ao fundo do rio, passei entre um monte de capim navalha submerso e levantei a cabeça alguns metros adiante, com barro na boca, olhos e ouvidos. Nadei de volta à margem encarando meus amigos que se matavam de rir.

Não deu outra. Levei uma bronca de um primo mais velho, que era uma espécie de tutor para “primos tolos da metropole”, encarregado pelas minhas tias de zelar pela minha saúde.

Me coçando muito, vermelho de vergonha e barro, escutei umas regrinhas básicas que transferi para as aventuras fora da água. Afinal, o que é a vida senão um rio que segue seu curso, as vezes lento e cristalino, as vezes barrento e turbilhonado, rumo a um lugar pra desaguar?

– É raso ou fundo? Tem pedra? Tem toco de árvore no fundo? Perguntar não ofende e pode salvar sua vida.
– Antes de entrar no rio, veja como e por onde vai sair. Até para banho de rio há que se ter estratégia.
– Em rio barrento, não mergulhe. Entre de pé, tateando e vendo onde pode ou não ir. Devagar se vai ao longe.
– De preferencia só entre no rio acompanhado de quem já conhece a área. Não menospreze a experiencia dos outros.
– Nadar contra a corrente só se for para se exercitar. O rio tem todo o tempo do mundo para te vencer.
– Não sabe nadar? Só entre até onde possa ver seus pés. E use um salva-vidas.
– Em rio caudaloso cuidado com o que a correnteza vem arrastando.  
– Não deixe de olhar pro céu. Choveu rio acima, enchente rio abaixo. Saber o cenário ajuda muito em qualquer decisão. 
– A correnteza do rio pode te ajudar. Mas não deixe ela te dominar.
– O rio de ontem não é o mesmo de hoje, que não será igual amanhã. As mudanças as vezes são imperceptiveis.
– As pedras andam. O mato cresce. As coisas mudam de lugar.
– Tudo que o rio levou hoje, nunca mais vai voltar.
– Novo no rio? Não mergulhe. Flutue. Afinal, pato novo não dá mergulho fundo.

E por último, mas não menos importante, como disse meu primo, aproveite. Banho de rio é tudo de bom. Vale o refrão da canção popular, viver é melhor que sonhar…

Paulo Walter

Publicado por: cronicas

7 Comentários


  1. Cezar Cerbam

    Paulo, ótimo texto!

    Além de ser uma delícia, e de lembrar as gostosuras de infância, é uma base interessante para analisarmos a situação que vivemos hoje.

    Muito se fala da nova “Geração Y”, de jovens homens e mulheres destemidos e arrojados, que buscam resultados imediatos e de grande monta. Esse perfil combina com a necessidade das empresas de serem cada vez mais competitivas e trilharem novos caminhos, pensar “fora da caixa” e inovar.

    Mas não podemos esquecer que há ensinamentos que nem uma faculdade de primeira linha, nem MBAs, podem agregar a um profissional. Há casos em que somente a experiência em tempos difíceis, a vivência de diferentes desafios, podem trazer uma resposta, em especial em tempos de crise.

    O grande desafio é encontrarmos o equilíbrio entre a nossa vontade de conhecer o novo e ao mesmo tempo termos a segurança necessária para escolhermos o caminho que vai dar frutos. Ou seja, o desafio é criarmos times vencedores com os talentos distintos que diferentes gerações podem trazer a uma organização.

  2. Israel Ribeiro

    Caro Walter
    Este exemplo dado é de bastante reflexão, para os nossos desafios e novas experiência.
    Sem experiência temos que buscar informações naqueles que já tem, para podermos não cometer erros , que possívelmente já foram cometidos por aqueles que são experientes hoje.
    Mas tambem sabemos que por maior que seja a experiência vivida e que deram certas uma vez, talvez com a mudança do tempo , tecnologia, etc. não dêem certas novamente.
    Por isso a busca continua de aprendizado e informação é fundamental para nosso desenvolvimento.
    abraço
    ISRAEL RIBEIRO

  3. jamile.gomes

    “bão esse texto uai” , principalmente pra mocinhas sedentas e hiperativas que antes mesmo de ver a outra margem, já mergulha de cabeça nas águas desconhecidas.

    Nao é a toa que a gestão de riscos (BASILEIAs, COSOs da vida) veio a tona!

    Show de bola o texto! Sou fã desse teu jeito escritor de ensinar!

    abraços
    Jamile Gomes

  4. Leila

    Pois é, ai neste momento é que entra uma coisinha chamada bom senso. Tem uma frase que diz o seguinte ¨Se vc quer saber o que vai encontrar la na frente, pergunte aos que estão voltando¨ ( não me recordo o autor), mas tambem existe um outro lado da história, são aquelas pessoas que ficam observando o mar, observando o rio, observando a vida , sem ter coragem para o mergulho, apenas observando e aí aquele momento que poderia ser maravilhoso, aquela oportunidade de trabalho, aquele frio na barriga, serão passado e sera tarde demais.
    Cautela sim, cuidado sempre, mas com uma pitada de ousadia e coragem.
    Grande abraço PW.

    Leila

  5. ROBINSON A RODRIGUES

    Este é um dos melhores artigos escritos e com uma metáfora que pode ser aplicado pela vida pessoal e corporativa.
    Quero chamar a atenção para:
    * Nadar contra a corrente só se for para se exercitar. O rio tem todo o tempo do mundo para te vencer. [ Quantas vezes tentamos mudar o imudável em empresas, e pior somos vencidos pelo cansaso].
    * Não deixe de olhar pro céu. Choveu rio acima, enchente rio abaixo. Saber o cenário ajuda muito em qualquer decisão. [ Fique antena o que esta acontecendo nas diretrizes da empresa, o que é decidido lá em cima, pode mudar sua vida, para melhor ou pior].
    * O rio de ontem não é o mesmo de hoje, que não será igual amanhã. As mudanças as vezes são imperceptiveis. [ Algumas pessoas acham que o tempo não passa, pode não passar no mundo em que criamos, mas fora dele, muita coisa esta acontendo.]

    PARABÉNS VOU USAR ESTAS LIÇÕES EM MINHAS REUNIÕES COM O TEAM.

  6. Dener Benicio

    Grande Paulo Walter!
    Sempre com sua maneira suave alegre e maroto para redigir seus textos tão gostosos de ler. Investir mais tempo em planejamento é sinônimo que teremos menor numero de ações corretivas! É sempre prazeroso ler “você”. Abraços meu amigo!

    • Paulo Walter
      Paulo Walter

      Grande Dener,
      Obrigado pelo prestígio. Acho que parte disso que você comenta se deve ao “jeitim mineiro” que corre em minhas veias apesar de carioca da gema.
      Grande abraço