oferecimento
Esqueci minha senha
Milton Zen

Blog Magzen

Milton Zen

 

Know-how, um novo desafio!

- 23/06/2009

Esse assunto é de extrema importância para nossa indústria e, portanto para nosso país. No artigo anterior comentei que a perda de capital intelectual, bem esse, intangível é muito perigoso para a sobrevivência da empresa mãe, quando opta por uma terceirização baseada apenas no custo.

Entendo que nesse ritmo a empresa perecerá, e perguntei: Quando será isso? Minha resposta foi: Tudo dependerá do mercado e de seus competidores. A que melhor direcionar tais mudanças e souber valorizar seus talentos manter-se-á viva.

Pergunto: É fácil substituir talentos? Minha resposta é não. Talento não se substitui, o que vem depois é um outro tipo de talento. Com certeza diferente do anterior, com qualidades e defeitos que poderão ser melhorados.

Lembremos de fatos como no automobilismo. Nick Lauda, Nelson Piquet, Airton Senna, Michael Schumaker, dentre outros, foram e continuam sendo talentos incomuns. No futebol, Edson Arantes do Nascimento, o PELÉ, continua sendo o maior. Muitos outros vieram depois dele, mas nenhum com tantas qualidades reunidas.

Pois bem, afirmei que a empresa que melhor trabalhar as mudanças manter-se-á viva. Mudança passa com certeza pela busca de novos talentos, inclusive em outras empresas e até mesmo em outros países, quando optamos por uma transferência de atividades.

Isso significa que terceirizar pode ser uma excelente alternativa para a sobrevida de sua empresa, visto que se houver a possibilidade de trabalhar com talentos melhores que os que você possui, será vantajoso, mesmo que venha a pagar mais por isso, diante dos resultados que poderão ser alcançados.

Em uma economia globalizada como a que estamos vivendo hoje, muitas empresas estão buscando alternativas em outros países, que possuem talentos incomuns e que por estarem em um processo inicial de desenvolvimento, têm um custo menor. Essa é também uma das características da terceirização na atual economia.

Essa adaptação traz a galope a necessidade de ampliar o relacionamento entre países, empresas e profissionais. Lembre-se que um negócio não se faz sozinho, mas através de uma rede de relacionamentos. Ele será perene, se conseguir atender às necessidades e expectativas de seus clientes dentro das condições que o mesmo está disposto a pagar.

É um grande desafio, quem sobreviver, verá!!!!!

Milton A G Zen
www.magzen.eng.br
magzen@magzen.eng.br
magzen@manutencao.net
magzen@uol.com.br

Publicado por: Milton Zen

19 Comentários


  1. Glauco Santoro Braga

    TURMA 20GEMAM

    As habilidades consideradas inatas podem ser desenvolvidas caso haja motivação e com a aplicação de técnicas apropriadas. Assim, qualquer pessoa está, por exemplo, apta a aprender música, desde que tenha vontade e use as técnicas apropriadas ao estudo de música depende somente de um insentivo…

    Glauco S. Braga

  2. Kleber Alves Uruga

    Evidentemente que talento não se substitui, mas o conhecimento de uma determinada equipe ou pessoa pode ser substituido por outra, desde que haja vantagens nessa substituição. Uma terceirização deve ser feita com uma base sólida de estudo, para que não se cometa nenhum fiasco. Sempre lembrando que a organização deve ter clareza daquilo que ela pode ou não pode transmitir de “know-how” para um eventual terceiro.

  3. Andre Amorim

    O Gestor deve estar atento para descobrir novos talentos e saber manter os talentos que tem a sua equipe motivada.
    Todo talento deve ser lapidado e o gestor deve ter a responsabilidade de transmitir seu conhecimento a ele e fornecer as ferramentas adequadas para isto, por exemplo, expirências passadas, lições aprendidas, treinametos, etc…
    Salário não e tudo para reter talentos, saiba a motivar sua equipe, trabalhar com sinergia e um bom ambiente para trabalhar é fundamental.
    O Network é fundamental para todos, independentes do nível hierárquico, pois nunca sabemos o que virá posteriormente (“o dia de amanhã”).

    André Amorim
    Turma 20 GEMAN

  4. Giuseppe Santangelo

    O gestor além de saber identificar um talento, deve antes de tudo, criar um ambiente de cultura de mudanças. Este ambiente propiciará de forma natural o aparecimento dos talentos.

    Apesar das dificuldades e desafios diários, cada vez maiores, e a percepção de que não temos tempo para nada, é fundamental desenvolvermos as pessoas e passarmos para os nossos colaboradores as boas práticas, a necessidade de realmente trabalharmos em equipe, a ética, a visão do negócio, a necessidade de transferência contúna de know how.

    Hoje, quando um talento é reconhecido, porém, não devidamente valorizado, não falo aqui apenas de salário/benefício, mas de oportunidades e desafios, a frustração é diretamente proporcional a expectaiva e contamina de forma negativa toda uma equipe.

  5. Eneas Martins da Silva

    Quem é o melhor!!!

    E ninguém é substituível pela simplicíssima razão de que não há dois seres humanos iguais – sendo assim, não há duas pessoas que desempenhem a mesma função ou executem a mesma tarefa da mesma forma. Cada ser humano é único.
    Quando se substitui alguém, o substituto poderá fazer melhor ou pior – mas nunca fará igual, indepedente de suas funções serem iguais ou diferentes.

  6. Adriano Aparecida da Silva

    Os gestores de manutenção devem implementar modelos de gestão que façam com que as pessoas talentosas dentro da sua equipe, permaneçam longos períodos na empres, para que isso ocorra devem estar envolvidos em constantes desafios profissionais, ter autonomia para tomadas de decisão e o mais importante ter oportunidade de trabalhar no exterior para se tornar um profissional globalizado.
    A motivação está além dos altos salários, o ideal se possível é praticar o rodízio de profissionais em suas subsidíarios internacionais, o trabalho é atrativo, oferecendo assim o desenvolvimento em línguas estrangeiras.
    Temos que estar prepardos sempre para o desenvolvimento de novos talentos porém com habilidades diferentes, as vezes melhores ou menores qualidades, a estrutura deve ser mantida para tal desenvolvimento.Podemos até tercerizar para conseguimos a mão de obra ideal ou melhor a que temos em mãos.

    Adriano Aparecido da Silva
    Turma 20GEMAM

  7. Tadeu Oliveira

    Talento é algo que cada um traz consigo diante da atividade que exerce, portanto em uma mesma atividade podemos ter talentos diferentes, hoje em dia o que temos é um grande preenchimento de espaço para as oportunidades que aparecem, raramente se vê alguém exercendo seu talento no lugar correto. Talvés por falta de um olhar mais apurado para ver isso.

    No mundo globalizado como o texto fala se dá bem a empresa que sabe onde empregar e direcionar corretamente os talentos que tem, para isso seus gestores devem estar bem preparados ter visão sistemica do trabalho de seus funcionários, percepção, ai voltamos no texto anterior na questão do treinamento.

    Pelé era e ainda será o melhor o Melhor Jogador de todos os tempos, mas seu talento como atacante, um homem de frente o fez o melhor entre todos. será que alguém lá no começo não viu isso e assim o fez jogar? fica aqui pra se pensar a respeito.

  8. Gines Pinheiro

    Não é fácil substituir talentos, porém não é impossível. Ao passo que as pessoas são substituídas nas organizações, as necessidades das mesmas também mudam. Desta forma, novos talentos aparecem e não podem ser comparados com os talentos anteriores, pois as atribuições e demandas são diferentes.

    Como comparar qual trabalhador é mais talentoso? Um operário dos anos 50, com muito mais habilidades manuais e envolvido em um processo quase que artesanal, ou um operário da atualidade, que comanda um ciclo produtivo através de comandos em uma tela de computador? Cada qual, com seu talento, detém habilidades adequadas de modo a atender às necessidades da empresa.

    As empresas devem identificar os talentos, definir o melhor papel para cada talento e incentivar o aprimoramento de habilidades daqueles que possuem potencial para progressa. Este é um dos papéis de um gestor.

    Gines Pinheiro
    Turma 20 – GEMAN

  9. Efraim H Santos

    Sim , como o próprio texto diz :
    Talento não substitui , porque o talento depende das pessoas e as pessoas são diferente
    Temos que viver sempre em busca de agregar conhecimento , e com isso nosso talento será desenvolvido
    E não podemos neglegênciar o talento de uma equipe , ou seja trabalhar em equipe e uma das melhores forma de desenvolver talentos e habilidades

  10. Clayton Silva Costa

    Os talentos que o Gestor identifica em sua equipe devem ser assistidos e motivados com oportunidades e desafios. Muitos colaboradores são movidos a conquistas, quando há um clima de mudanças e atitudes por parte do gestor, as pessoas adquirem a percepção de valor do seu trabalho.
    As empresas através de seus gestores, tem o papel de garantir uma cultura de retenção de talentos, não só através de remuneração e benefícios, mas de politica de crescimento profissional e pessoal dos seus colaboradores.
    As equipes devem ser heterôgeneas, com diversidade de habilidades para que haja sinergia no contato diário e agregação de valor do trabalho, é papel do gestor de identificar as habilidades e de delegar as atividades conforme a característica de cada talento.

    Clayton Silva Costa
    Turma 20 – Geman

  11. Rodrigo Constantino Angelo

    Cabe as empresas ajudarem os jovens gestores a buscar o desenvolvimento do know how, atraves de um intercambio de informacoes onde for necessario.
    Empresas que saberem o melhor modo de fazer isso serao mais competitivas em uma economia que exigue cada vez mais reducao de custos, em detrnimento do conhecimento.

    Rodrigo C. Angelo
    20GEMAN

  12. Joel Oliveira de Albuquerque

    É possivel se fazer uma renovação, buscando novas pessoas e novos talentos, mas sem abrir mão dos talentos da casa. Em um time que sempre busca vencer, é necessário manter a base sem desdenhar a renovação. Fazendo uma verdadeira manutenção de um time vencedor.

    Joel Oliveira de Albuquerque
    turma 20 Geman

  13. Élison Borges

    Quando se fala em talentos, algumas empresas tem apostado nos Programas de Trainee, para formar novos talentos, bem como desenvolvê-los.

    A renovação de talentos se faz necessária para que as empresas sejam cada vez mais competitivas, uma questão de sobrevivência.

    Realizar Benchmarking também é uma maneira de se adquirir know-how, permite vislumbrar novas oportunidades, neste caso, busca de novos talentos.

  14. Edinaldo Martins de Castro

    Um gestor deveria conhecer ou pelo menos identificar os talentos de sua equipe, assim poderia ter uma gestão com qualidade, eficiência e eficácia, pois definiria cada colaborador em sua melhor função e em trabalhos de grupo definir a junção dos talentos que combinam sem haver conflitos. Também é importante desenvolver os talentos existentes na sua equipe e buscar descobrir a cada dia novos talentos em seu próprio grupo de trabalho, pois muitas vezes procuramos e ficamos ocupados em enxergar o brilho de diamantes no quintal do vizinho, que acabamos não vendo o brilho do diamante no nosso quintal, correndo alto risco de outro ver antes de você .

    Edinaldo Martins de Castro.
    Turma 20GEMAN

  15. Cézar Augusto de Castro Tavares

    20 Turma Geman
    Atualmente vivemos em um cenário em que bons profissionais que detem o know-how são assediados constantemente. Porém para se combater e vencer essa tendencia é necessário investimento nesse profisional em forma de treinamentos, afim de que, seu local de trabalho sempre lhe proponha mais conhecimento e novos desafios.
    Porém mesmo com medidas de contenção é necessário termos uma sistemática de preparação contínua na capacitação de habilidades de outros profissionais. Ou seja, é necessário que sempre tenhamos pessoas preparadas para assumirem novas posições dentro da organização.

  16. Edson Martins da Silva

    Na era da Inovação onde as empresas já não diferem-se muito nos seus produtos fica valendo aquelas que mais talento para Inovar e diferenciar-se, daí pergunto: Quem ou de quem vem o talendo, empresa ou dos colaboradores? É claro que seu colaboradores. Sendo assim algumas empresas, digo as sérias, já estão voltadas a Gestão de Pessoas, tendo como diretriz que o funcionário é um importante investidor, portanto o foco passa ser no engajamento e perfomace do funcionário.

    Edson Martins

  17. Fabio Fognholi 20 turma GEMAN

    Vocês já pensaram no volume de talentos gerados nesta década com relação a anterior? Já pensaram também por que isto está ocorrendo?

    A resposta é simples e estatística. No Brasil uma a cada dez pessoas freqüenta a universidade, sendo que na Coréia do Sul sete a cada dez vão para a universidade. (Fonte: Adminstradores.com )
    Para maior desilusão, com o “BUM” de universidades privadas iniciando suas operações nesta década, era esperado que a situação mudasse.

    Porém, segundo o Site Adminitradores.com, 85% dos cursos superiores no Brasil foram reprovados pelo MEC, evidenciando que o “BUM” foi insustentável.

    Apesar das estatísticas serem desoladoras, no sentido qualitativo, o volume de talentos desta década sem dúvida é muito maior que o da passada. Graças à difusão de informações através de mecanismos de comunicação de alto desempenho, as pessoas passaram a ter acesso muito mais rápido e de forma muito mais seletiva as informações, compensando de certa forma o fator qualidade os tropeçares estatísticos do ensino superior no Brasil.

    Isto faz com que jovens cheguem a mercado de trabalho com muito mais informação do que nesta década do que os jovens da década passada, forçando colaboradores que triunfam em suas posições atuais, em situações acomodadas, a buscarem atualizações.

    Este processo é de suma importância para formação de novos talentos, pois jovem chegar altamente motivados a superarem desafios e os colaboradores em exercício se ainda não se tornaram talentos, tem uma nova oportunidade devido a chamado “mexa-se senão te atropelo”, criando uma relação de ganha-ganha para as empresas.

    Algumas empresas, com a nova filosofia moderna de gestão de pessoas, preconizam como valor a capacidade de identificar e reter talento
    .
    Para que este valor impere, a empresa deve desenvolver diversos novos mecanismo de retenção além de salários, como a criação de ambientes favoráveis à motivação, desenvolvimento e desafios.

    De fato experiência e talento ajudam a resumir Know how, pois esperasse que talentos sejam motivados, motivadores, tenha capacidade de desenho situacional e além de tudo tenham o poder de organização para ajudar a formar bancos de dados que servirá de base para a evoluções significativas do poder da compreensão e evolução humana e tecnológica.

  18. Glauber Rufino

    Não substitui talento porque o mesmo já nasce com o indivíduo, mas podemos lapidá-lo investindo em treinamento, conhecimento e passando experiência para o mesmo seguir em suas atividades da forma mais correta possível. Quanto a terceirização pode ser uma saída para as empresas quanto a diminuição de gastos, mas por outro lado pode se tornar um problema porque o terceiro não têm vinculo com a empresa.

    Glauber Rufino
    Geman Turma 20.

  19. RODRIGO CARNEIRO LEONEL

    Talentos vão e vem a todo momento…. Cabe a cada instituição valorizar e desenvolver seus agentes de mudanças de forma que estes se sintam importantes e felizes dentro de uma organização.