oferecimento
Esqueci minha senha
Milton Zen

Blog Magzen

Milton Zen

 

Ética, Comportamento e Acidentes

- 07/06/2010

Atuar dentro dos princípios éticos significa respeitar os direitos do próximo além de reconhecer suas obrigações e deveres. Entendo que atuar dentro de tais princípios é agir da mesma maneira com o que diz respeito ao meio ambiente, flora e fauna e ambiente social e do trabalho.

Estamos vivendo um período de grande aprendizagem na história recente do nosso Brasil. Princípios e valores básicos de humanidade são jogados na lata do lixo, pois muito do que temos visto na mídia demonstra claramente tal falta da prática desses valores.

Viver dentro da ética é agir constantemente respeitando a tudo e a todos. A começar resepitando a família, os pais, parentes, os amigos, e mesmo aqueles que pouco convivemos e principalmente demosntrando respeito pelos desconhecidos. É primordial sabermos usar adequadamente o senso de justiça e o da reciprocidade.

Apesar de ser engenheiro e não filósofo, sugiro fazermos uma reflexão sobre o seguinte: ao aceitarmos que regras básicas de convívio social sejam quebradas, estamos na realidade dando um recado para aqueles que querem levar vantagem uma sugestão para elevar o seu grau de desrespeito e desonestidade para com os que o cercam sem a preocupação de serem repreendidos.

Vejamos alguns exemplos: na escola, o aluno desrespeita o professor e em algumas vezes até o agride, na rua os motoristas burlam a legislação de trânsito, estacionando em lugares proibidos, ultrapassando em locais perigosos, e até mesmo desrespeitando o horário permitido para utilização do seu veículo.

A ética no meu entender deve ser um exercício diário, ou seja, deve ser aplicada cotidianamente, pois somente dessa maneira acabará se incorporando à sociedade e se transformará em cultura. Uma frase de Aristóteles diz: “Nós nos transformamos naquilo que praticamos com freqüência. A perfeição, portanto, não é um ato isolado, é um hábito”. Pois bem, se desejamos uma sociedade justa e honesta, precisamos praticar tais princípios.

Filosofando mais um pouco, tenho certeza que uma sociedade pode ser também conhecida em seus valores pela maneira como trata o meio ambiente e os animais. “Me digam como tratam os animais e o meio ambiente, que lhes direi o nível cultural da nação”. Nesse aspecto, temos também muitas oportunidades de melhoria. Ouvimos constantemente sobre empresas que pregam respeito ao meio ambiente, entretanto devastam hectares de florestas nativas em nome do desenvolvimento e de sua ganância financeira.

Tenho visto muitas empresas publicarem códigos de ética com a finalidade de resgatar princípios que longe ficaram. É certo que muitos estão buscando valores esquecidos, porém nem todos procuram ter um comportamento ético adequado.

O comportamento humano tem hoje uma grande cesta de oportunidades de melhoria. A partir do momento que temos dificuldade para até falarmos bom dia para nós mesmos, imagine expressar isso para aqueles que conosco trabalham.

O comportamento positivo é percebido; como já escrevi em artigo anterior; quando nos deparamos com pessoas que são ao menos comprometidas e agem dentro de princípios e valores de respeito a tudo e a todos. Os que seguem fortemente e têm fé em tais valores, eu os classifico como convertidos.

É necessário, portanto, incentivar a todos a respeitarem as leis básicas, pois acredito que passarão a respeitar mais a si próprios, e com o tempo, o próximo e também à cidadania. Nas empresas, há uma situação que está bastante ligada a esses princípios e normalmente é tratada apenas como desleixo do ser humano, o acidente do trabalho.

Eu pessoalmente acredito que seja também, por parte dos colaboradores, uma demonstração clara de desrespeito aos princípios básicos, que no ambiente do trabalho nos remete ao cumprimento de normas e procedimentos empresariais. Os empregados percebem claramente que os valores que a gestão tanto prega, muitas vezes são desrespeitados por ela. Gestores ao trabalharem dando um jeitinho, passam aos seus colaboradores a idéia de que se os chefes podem, eles também. É a estória de que os empregados se desenvolvem olhando as costas dos superiores hierárquicos. Nesse caso, o exemplo dado pelos superiores é prejudicial ao ambiente de trabalho.

Se um colaborador no ambiente produtivo percebe que sua chefia apenas fala da boca para fora, ele também desvalorizará aquilo que o chefe desvaloriza. Entretanto, muitas vezes, ao burlar ou trabalhar dando um jeitinho acaba se expondo a riscos desnecessários sofrendo acidentes que causam sérias lesões, afastamentos do trabalho, e até mesmo a sua morte e a de colegas.

Portanto, cabe uma pergunta para realizarmos uma reflexão mais profunda. Será que uma empresa que tem um número elevado de acidentes tem também uma grande probabilidade de que seus princípios e valores sejam pouco praticados ou constantemente desrespeitados?

Milton A G Zen
magzen@manutencao.net
magzen@uol.com.br

Publicado por: Milton Zen

1 Comentário


  1. Gilberto

    Empresas como essa, o valor só serve como frase representativa…
    Cabe aos gestores, analisar os fatos e corrigir, para que realmente os valores sejam respeitados e tragam bonus para todos, (colaboradores e empresa).