oferecimento
Esqueci minha senha
Paulo Walter

Gestão Estratégica de Negócios

Paulo Walter

 

TELEBRAS vai terceirizar a Operação e Manutenção de seus Centros de Operação de Satélites e toda a sua Rede

Telebras vai terceirizar operação e manutenção de toda sua rede bem como dos centros de operação de satélites

A audiência pública para debate dos termos de referência do edital de terceirização do backbone nacional da operadora estatal e dos centros de operação do satélite (rede terrestre) será realizada no dia 24 de março, em Brasília. No dia 21 será lançado o satélite brasileiro, o SGSC, da base de Kouru, na Guiana.

06/03/2017
TELEBRAS vai terceirizar a Operação e Manutenção de seus Centros de Operação de Satélites e toda a sua Rede" addthis:description="Telebras vai terceirizar operação e manutenção de toda sua rede bem como dos centros de operação de satélites A audiência pública para debate dos termos de referência do edital de terceirização do backbone nacional da operadora estatal e dos centros de operação do satélite (rede terrestre) será realizada no dia 24 de março, em Brasília. […]">

Projeto que regulamenta e amplia a Terceirização deve entrar na pauta da Câmara para votação

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia faz grande força para medir a fidelidade da base aliada ao presidente Temer em torno de tema polêmico principalmente em tempo de crise econômica.

O futuro de 13 milhões de trabalhadores terceirizados que prestam serviços para outras empresas e dos novos assalariados nesse ramo deverá ser decidido na próxima semana. É o primeiro grande teste de força do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), após ser eleito para mandato de dois anos como dirigente efetivo da Casa.

A proposta (projeto de lei 4302/1998) defendida pelo presidente da Câmara para medir a fidelidade da base aliada foi editada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em 1998, fixando a terceirização irrestrita para todas as atividades das empresas, incluindo as secundárias, a exemplo de vigilância e higiene, e as principais que hoje são proibidas.

O texto já tramitou pelo Senado e, se for aprovado pelos deputados, segue direto para a sanção do presidente Michel Temer, dando prosseguimento à reforma trabalhista fatiada, conforme modelo apoiado pelo Planalto.

Essa é uma das frentes em marcha que tem o apoio do governo para mudar as regras trabalhistas com o argumento de que irá aumentar a geração de emprego no País em um momento de crise.

Se aprovada, essa proposta pula a fila e sai na frente do pacote de mudanças nas relações de trabalho encaminhado pelo governo no final do ano passado. Nesse pacote, prevalece a regra do negociado sobre o legislado, ou seja, os acordos assinados pelos sindicatos com empregadores tratem de diversos temas, como hora extra e férias, prevalecem sobre o que está previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

“O Paraguai tem abrigado empresas brasileiras, que buscam o país vizinho para se proteger do rigor da lei trabalhista”, afirma Maia a seus interlocutores em defesa de maior celeridade na reforma trabalhista. Deve ser votada em maio, mas antes projetos específicos podem caminhar, como é o caso da terceirização. Paralelamente, Maia prega que a reforma previdenciária deve andar mais devagar.

Na semana passada, Maia já deu início à reforma trabalhista com a aprovação de projeto que regulamenta o pagamento e a distribuição de gorjeta em bares e restaurantes. A matéria seguiu para sanção de Temer.

Responsabilidades

O projeto chegou a ter o pedido de urgência retirado pelo ex-presidente Lula. Aprovada na Câmara no ano 2000, a proposta foi alterada pelo Senado que incluiu, por exemplo, a previsão de “responsabilidade subsidiária”, ou seja, a empresa contratante tem obrigações trabalhistas em relação aos trabalhadores da empresa contratada durante o período de prestação de serviço.

O relator do texto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Laércio Oliveira (SD- SE), concordou com as alterações do Senado, até para que a proposta seja definitivamente aprovada na Câmara e possa ir à sanção.

“É um projeto que amplia consideravelmente a terceirização no nosso país. Nós ainda não temos regulamentação para a terceirização. Mesmo assim, o Brasil tem hoje mais de 13 milhões de brasileiros contratados, trabalhando com produtividade e com eficiência, sendo terceirizados. Portanto, por mais que se tente dizer que a terceirização é uma prática ilegal, que é uma precarização, não é, não”, argumentou Laércio.

“Onde existe um trabalho terceirizado, existe eficiência. Isso cria, de fato, uma possibilidade para que se melhore o ambiente de emprego no nosso país”, completou.

Oposição na retranca

Já os partidos de oposição prometem obstruir ao máximo a tramitação da proposta. Eles lembram que outro projeto de lei (nº 4330/2004) foi aprovado pela Câmara, em 2015, com alguns consensos sobre a terceirização. O texto, de autoria do ex-deputado Sandro Mabel, hoje assessor do presidente Temer, ainda está em análise no Senado, onde o relator, senador Paulo Paim (PT-RS), é contra a terceirização irrestrita e defende a equiparação de direitos e até de salários entre os efetivos e os terceirizados.

A oposição já anunciou que vai apresentar substitutivo para evitar, segundo ele, “calotes” aos trabalhadores. Além dos deputados, a terceirização também divide opiniões. A maioria das centrais sindicais é contra, enquanto as entidades patronais são favoráveis.

A CNI elaborou diversos estudos para defender a regulamentação da terceirização em qualquer atividade, o que seria “um fato do mundo atual”. Para a entidade, a terceirização é uma estratégia das empresas para ampliar sua competitividade e produtividade – em vez de a companhia ser responsável por todos os aspectos da sua produção, ela pode contratar outras empresas especializadas para realizar partes menores do serviço.

Fonte: Federação Nacional do Comércio

06/03/2017
Projeto que regulamenta e amplia a Terceirização deve entrar na pauta da Câmara para votação" addthis:description="O presidente da Câmara, Rodrigo Maia faz grande força para medir a fidelidade da base aliada ao presidente Temer em torno de tema polêmico principalmente em tempo de crise econômica">

TV paga registra queda de 105,40 mil assinantes em janeiro

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou em janeiro de 2017 um total de 18,69 milhões de assinantes de TV paga no Brasil, o que corresponde a uma diminuição de 105,40 mil assinantes em comparação com dezembro de 2016, menos 0,56%. Dos grupos acompanhados pela Agência, a Oi e a Cabo apresentaram crescimento de 1,06% e 0,24%, respectivamente. Todos os outros grupos apresentaram redução.

Nos últimos doze meses, a redução foi de 364,46 mil assinantes, menos 1,91%. Neste período, a Oi apresentou crescimento de 12,03% com mais 141,55 mil assinantes. Todos os outros grupos apresentaram redução, destaque para a Blue com queda de 30,66%, redução de 46.116 assinantes.
Em relação às tecnologias, entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, a fibra ótica apresentou crescimento de 0,22% devido à adição de 485 usuários. No entanto, em 12 meses, esta tecnologia apresentou crescimento de 27,35% com a entrada de 47, 59 mil assinantes. Todos os outros serviços apresentaram queda, em termos absolutos a maior redução foi registrada por usuários de satélite, menos 353,67 mil assinantes (-3,2%).

Nos estados brasileiros, no último mês o Ceará liderou a redução percentual nos números de usuários de TV paga, menos 1,73%, seguido pelo Amazonas com redução de 1,62% e Amapá com menos 1,54%. Piauí apresentou crescimento de 0,19% e Maranhão de 0,06%, entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017.

Nos últimos doze meses, Pernambuco liderou a redução percentual nos assinantes no país, menos 8,02%, seguido de Rondônia com queda de 7,98% e Amapá com menos 7,58%. Lideraram o crescimento da TV paga no Brasil os estados do Piauí com 7,47%, Sergipe com 4,26% e Maranhão com 4,08% de aumento no número de assinantes.

Fonte: ANATEL

03/03/2017
TV paga registra queda de 105,40 mil assinantes em janeiro" addthis:description="A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) registrou em janeiro de 2017 um total de 18,69 milhões de assinantes de TV paga no Brasil, o que corresponde a uma diminuição de 105,40 mil assinantes em comparação com dezembro de 2016, menos 0,56%.">

Dezembro de 2016 fechou com indicadores da economia reagindo

Não que o Carnaval seja uma coisa ruim. Mas Produção, Horas Trabalhadas e Emprego crescendo são boas notícias que fazem de Março o verdadeiro início do ano.

CNI – Termômetro da Indústria

O termômetro da indústria, da CNI, mostra a situação da indústria brasileira.

02/03/2017
Dezembro de 2016 fechou com indicadores da economia reagindo" addthis:description="Não que o Carnaval seja uma coisa ruim. Mas Produção, Horas Trabalhadas e Emprego crescendo são boas notícias que fazem de Março o verdadeiro início do ano. CNI – Termômetro da Indústria O termômetro da indústria, da CNI, mostra a situação da indústria brasileira.">

SENAI de Santa Catarina inaugura seu primeiro Laboratório Aberto de Inovação

SENAI de Santa Catarina inaugura seu primeiro Laboratório Aberto de Inovação

O Laboratório Aberto do SENAI é um espaço didático, mas com possibilidade de utilização pelas indústrias da região Dotado de impressoras 3D e equipamentos de costura e eletrônica, um novo ambiente instalado no SENAI em Tubarão, em Santa Catarina, vai ajudar estudantes e empresas a transformar as ideias em protótipos.

02/03/2017
SENAI de Santa Catarina inaugura seu primeiro Laboratório Aberto de Inovação" addthis:description="O Laboratório Aberto do SENAI é um espaço didático, mas com possibilidade de utilização pelas indústrias da região Dotado de impressoras 3D e equipamentos de costura e eletrônica, um novo ambiente instalado no SENAI em Tubarão, em Santa Catarina.">

Robótica pode abrir portas do mercado de trabalho

VÍDEO: Robótica pode abrir portas do mercado de trabalho

Na última reportagem da série: Robótica na Vida da Gente, veja depoimentos de estudantes, professores e até de representantes da indústria que confirmam a robótica como modelo inovador de ensino. E mais, quem faz robótica sai na frente quando o assunto é automação industrial

02/03/2017
Robótica pode abrir portas do mercado de trabalho" addthis:description="Série: Robótica na Vida da Gente, veja depoimentos de estudantes, professores e até de representantes da indústria que confirmam a robótica como modelo inovador de ensino. E mais, quem faz robótica sai na frente quando o assunto é automação industrial">

BNDES apoia municípios nas parcerias para as áreas de iluminação e de resíduos sólidos

O BNDES iniciou articulação com os municípios para firmar acordos de cooperação técnica com o objetivo de estruturar parcerias com a iniciativa privada, tendo como foco prioritário projetos nas áreas de iluminação pública e de resíduos sólidos urbanos.

O modelo de acordo de cooperação técnica foi aprovado pela diretoria do Banco na quarta-feira, dia 8, e prevê a celebração de contrato com os municípios interessados para execução dos projetos. O Banco fará assessoria nas etapas de planejamento e contratação de consultores, realização de estudos para modelagem da parceria, road show, audiência pública, consulta pública, atendimento a órgãos de controle até a realização dos leilões para contratação do parceiro privado.
Ler mais

21/02/2017
BNDES apoia municípios nas parcerias para as áreas de iluminação e de resíduos sólidos" addthis:description="O BNDES iniciou articulação com os municípios para firmar acordos de cooperação técnica com o objetivo de estruturar parcerias com a iniciativa privada, tendo como foco prioritário projetos nas áreas de iluminação pública e de resíduos sólidos urbanos. O modelo de acordo de cooperação técnica foi aprovado pela diretoria do Banco na quarta-feira, dia 8, […]">

Novo site concentra todas as informações sobre Cursos, Feiras, Congressos e Seminários num só lugar

A família de sites da RBM – Rede Brasileira de Manutenção acaba de ganhar mais um membro destacado: está no ar o www.congressoseseminarios.com.

Embora ainda esteja em fase de adaptações, o novo site já está operacional. Sua missão é concentrar num só lugar as principais informações sobre os eventos mais importantes que vão acontecer no país ao longo do ano.

A agenda nacional ajudará a cada profissional tomar conhecimento do que há de programação, do curto ao longo prazo, perto ou longe de onde trabalha, selecionar o que lhe interessa e fazer suas próprias definições do que, quando e onde participar ou ainda enviar um colaborador.

O site também permite saber quem vai fazer apresentações, quem estará expondo e ainda as informações gerais de cada evento.

O novo site veio ao mundo web para atender a fome com a vontade de comer: empresas precisam divulgar seus eventos e os profissionais precisam saber onde e quando eles acontecem.

A RBM – Rede Brasileira de Manutenção tem agora cinco websites atuando em conjunto:www.congressoseseminarios.com

www.manutencao.net

www.engenharias.net

http://marcas.manutencao.net/

http://indicadoresdegestao.com/

A RBM também está presente no Twitter (@manutencaonetbr) e no Facebook (https://www.facebook.com/manutencao.net/)

O novo site está ainda em fase de testes e se você tiver alguma sugestão a fazer, por favor deixe seu comentário ou entre em contato conosco. Ficaremos felizes em receber seu feedback.

Abraços

Paulo Walter

13/02/2017
Novo site concentra todas as informações sobre Cursos, Feiras, Congressos e Seminários num só lugar" addthis:description="A família de sites da RBM – Rede Brasileira de Manutenção acaba de ganhar mais um membro destacado: está no ar o www.congressoseseminarios.com. Embora ainda esteja em fase de adaptações, o novo site já está operacional. Sua missão é concentrar num só lugar as principais informações sobre os eventos mais importantes que vão acontecer no […]">

Cade recomenda condenação de empresas por cartel em manutenção predial

Deu na Isto É:

Cade recomenda condenação de empresas por cartel em manutenção predial – ISTOÉ Independente

A Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômicas (Cade) recomendou a condenação de empresas em suposto cartel em contratações de serviço de manutenção predial. O cartel combinaria preços em diversas concorrências do setor privado e teria prejudicado inclusive as telefônicas Vivo e Claro. A superintendência pediu a condenação das empresas Álamo Engenharia, Araújo Abreu …

09/02/2017
Cade recomenda condenação de empresas por cartel em manutenção predial" addthis:description="Deu na Isto É: Cade recomenda condenação de empresas por cartel em manutenção predial – ISTOÉ Independente A Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômicas (Cade) recomendou a condenação de empresas em suposto cartel em contratações de serviço de manutenção predial. O cartel combinaria preços em diversas concorrências do setor privado e teria prejudicado […]">

Gestão Empírica na Manutenção, o mal que assola nossas empresas. Ou não?

Outro dia desses, num grupo de Whatsapp do qual participo, li um comentário que me arrepiou a alma: “Mais vale a experiência de campo que qualquer curso ou formação nestas metodologias e teorias novas que vira e mexe aparecem por aí”.

O tal comentário no Whats foi a propósito de um curso de formação em manutenção preditiva, que estava sendo divulgado, e custava algo acima das possibilidades do emissor do comentário. Sem grana para fazer o investimento no curso, a pessoa partiu para o desdém da aquisição de conhecimento através da habilitação formal. O grupo, ao qual me refiro e de onde vem a inspiração para este texto, tem mais de 200 participantes. São profissionais de muita qualificação e, somando todos, a conta vai a séculos e séculos de chão de fábrica. Tem gente de tudo quanto é canto e tipo de empresa. Gente que contrata e gente que presta serviços. É um pessoal que trabalha muito, espalhados pelo país todo. Estão em fábricas de cimento, papel e celulose, plataformas de exploração de petróleo, refinarias, etc., etc.. Estão literalmente embarcados em equipamentos os mais variados, que exigem atenção 24 horas do dia.

O fato é que fiquei com aquele comentário na cabeça por meses. Daí resolvi escrever sobre. Achei que podia expandir o assunto e falar um pouco mais sobre o empirismo que nos assola.

Empirismo é a atitude de quem se atém a conhecimentos práticos.

Longe de mim menosprezar a experiencia de campo. Sei muito bem que para subir ao Monte Everest, no Himalaia, é preciso muito treino em montanhas menores. A coisa é paulatina. E fundamentalmente, para se ter alguma chance de sucesso, ser guiado por quem já esteve por lá antes. Ou seja, para chegar no topo, vá com quem já esteve lá. Experiencia.

Saindo do mundo das escaladas e baixando aqui para nossa realidade, sabemos que há uma crise séria rolando aqui e agora. O mercado está estreito, as perspectivas pouco claras, as oportunidades, raras. Qual a solução para se sobreviver e seguir adiante?

O gestor empírico, aquele que acredita que a vivencia nos fatos é a resposta para tudo, não sabe o que fazer diante de problemas novos. Na Manutenção, empirismo está associado a consertador de falhas. Resolvedor de defeitos manjados. Gestão idem.

Não peça ao gestor empírico que busque ou aplique novas abordagens em seus processos. Estejamos falando de planejamento, programação, execução ou controle, a resposta pronta é: sempre fizemos assim e foi assim que chegamos até aqui.

Para empíricos há um manual não escrito com definições claras do que pode e do que não pode. Com eles não fale sobre terceirização de processos, benchmarking, planejamento plurianual, metas e objetivos cruzados, revisão de blocos, indicadores temporários, auditorias externas, 6 Sigmas, ciclo de vida útil, pareto de campanha. Use palavras simples como consertar, reparar, repor, macarrão, bacalhau, barbante.

O empírico não dorme, não viaja, não tira férias, não tem fim de semana, não sai para treinamento. Está sempre a postos e a disposição. O empírico está sempre a bordo. Empíricos não têm números, odeiam gráficos de tendencia, têm alergia a controles como backlogs, imaginam que alguém da Contabilidade é que cuida da válvula que controla o fluxo de caixa. O gestor empírico se preocupa apenas com máquina parada e máquina rodando. Empírico valoriza o indivíduo e não manda bem com equipes.

O gestor empírico consegue falar do passado, mas não tem muito a dizer do futuro.

Há um ditado que diz que cada empresa tem a Manutenção que merece. Empresa empírica, Manutenção idem.

Voltando lá no início, no grupo de Preditiva, a pergunta que sobrou é: como alguém que trabalha com preditiva pode ser considerado empírico? Simples. Basta colocar a preditiva a reboque, ao invés de ser o carro abre-alas. Ou seja, use as medições e monitoramentos para justificar falhas ao invés de usar as informações colhidas para antecipar problemas. Nada mais empírico que se consertar algo, sabendo direitinho como se chegou à condição de máquina quebrada.

Faça o teste. Pergunte ao seu gerente ou diretor se ele é empírico. Se ele responder que empírico é a mãe, cuidado! Não trate de inovação onde melhoria é palavrão.

Abraços

Paulo Walter

Consultor em Gestão de Serviços

www.limawalter.com.br

06/02/2017
Gestão Empírica na Manutenção, o mal que assola nossas empresas. Ou não?" addthis:description="Outro dia desses, num grupo de Whatsapp do qual participo, li um comentário que me arrepiou a alma: “Mais vale a experiência de campo que qualquer curso ou formação nestas metodologias e teorias novas que vira e mexe aparecem por aí”. O tal comentário no Whats foi a propósito de um curso de formação em […]">

EBI 2017 – XXII ENCONTRO BRASILEIRO DE ICTIOLOGIA – Porto Seguro – BA

EBI 2017 – XXII ENCONTRO BRASILEIRO DE ICTIOLOGIA – Porto Seguro – BA – Conservação, demandas sociais e desenvolvimento econômico: conflitos ou oportunidades para a ictologia?

A logomarca do XXII EBI foi trabalhada em cima de uma simples representação gráfica dos índios Pataxós (remanescentes dos Tapuias e pertencentes ao tronco Macro-Jê), o Peixe Pataxó, visando intuir e expressar o conceito de resgate da nossa ancestralidade…

03/02/2017
EBI 2017 – XXII ENCONTRO BRASILEIRO DE ICTIOLOGIA – Porto Seguro – BA" addthis:description="EBI 2017 – XXII ENCONTRO BRASILEIRO DE ICTIOLOGIA – Porto Seguro – BA – Conservação, demandas sociais e desenvolvimento econômico: conflitos ou oportunidades para a ictologia? A logomarca do XXII EBI foi trabalhada em cima de uma simples representação gráfica dos índios Pataxós (remanescentes dos Tapuias e pertencentes ao tronco Macro-Jê), o Peixe Pataxó, visando […]">

Valor do salário mínimo nacional é de R$ 937,00

O Decreto 8.948/16, publicado em 30/12/16, determina que a partir de 1º de janeiro o valor do salário mínimo nacional é de R$ 937,00, um reajuste de 6,47% em relação ao valor anterior.

Alguns estados seguem o valor estabelecido pelo governo federal e outros têm legislação própria sobre piso.

 

02/02/2017
Valor do salário mínimo nacional é de R$ 937,00" addthis:description="O Decreto 8.948/16, publicado em 30/12/16, determina que a partir de 1º de janeiro o valor do salário mínimo nacional é de R$ 937,00, um reajuste de 6,47% em relação ao valor anterior. Alguns estados seguem o valor estabelecido pelo governo federal e outros têm legislação própria sobre piso.  ">

Índice de Confiança da Manutenção segue crescendo mas, melhorar mesmo, só no segundo semestre

Saiu o Relatório Indicadores Gerais da Manutenção, com os dados fechados nas pesquisas de Janeiro de 2017, gerados pelas pesquisas da RBM – Rede Brasileira de Manutenção, que são realizadas através do site www.indicadoresdegestao.com.

A massaroca de dados traz muita coisa interessante, inclusive como está o humor do mercado MRO (Maintenence, Repair, Operation), aqui entre nós, na fronteira verde-amarela.

O resumo da pesquisa de clima IC- MRO (Índice de Confiança no Mercado MRO) mostra que a comunidade brasileira de profissionais que atua em Manutenção, nos mais variados segmentos da economia nacional e em todo o território brasileiro, está acreditando que 2017 vai ser muito melhor que 2017.

Expectativas de Mercado – Índice de Confiança – IC-MRO

No site www.indicadoresdegestao.com é possível acessar o relatório flash da Pesquisa Nacional da RBM – Rede Brasileira de Manutenção, que mede mensalmente a confiança dos profissionais brasileiros das áreas de serviços: Manutenção Predial e Industrial, Gestão de Facilities, Engenharia (Projetos e Obras).

A pesquisa nacional IC-MRO, que é feita todos os meses, neste mês teve mais de 380 participantes, de 297 empresas diferentes de todo o país.

 

Cenário de Janeiro de 2017
No levantamento de dezembro apurou-se que o ano de 2016 fechou com uma avaliação geral de 5,25 e o ano de 2017 começou com uma expectativa geral de nota 6,83. Agora em janeiro a expectativa para o ano de 2017 bateu os 7,44 pontos. Essa evolução indica otimismo crescente para 2017, com um aumento dessa expectativa em 8,9%.

Lembrando que nossa referência geral de início da série foi de 6,14 para o ano de 2011 (fechamento) com expectativa de 6,92 para 2012.

Especificamente para as atividades de MANUTENÇÃO em janeiro o IC (Índice de Confiança) fechou em 7,24. Comprado com o IC de dezembro, que foi de 7,109, vemos que houve um avanço de 2% no otimismo de um mês para o outro.
A pesquisa, com os dados coletados até o dia 31 de janeiro, mostrou que há vagas na Manutenção em 24,5% das empresas brasileiras (média geral).

O IC-MRO (Índice de Confiança do Mercado MRO) registrado (finalizado) para o mês de fevereiro 2017 (expectativa de curtíssimo prazo – net promoter score) foi de -61,54 (-70,83 para janeiro), com distribuição de 29% positivos (3% em Janeiro), 33% neutros (20% em janeiro) e 38% pessimistas (75% em janeiro).

O que a pesquisa nos aponta é que há uma expectativa de melhora a medida que os meses passem. Para os meses subsequentes as expectativas gerais são crescentes, com indicação de forte melhora no segundo semestre. O cenário político continua sendo o ponto de maior preocupação.

Se quiser participar da pesquisa mensal IC-MRO e comparar suas próprias opiniões com a média geral do mercado, basta responder ao questionário da pesquisa no link http://expectativasic-mro.questionpro.com. O relatório, que sai na hora, mostrará o retrato do dia e hora de sua participação.

Abraços

Paulo Wlater
BI – Business Inteligence
Marketing Content
Tel.: 21 99731-5454

01/02/2017
Índice de Confiança da Manutenção segue crescendo mas, melhorar mesmo, só no segundo semestre" addthis:description="Saiu o Relatório Indicadores Gerais da Manutenção, com os dados fechados nas pesquisas de Janeiro de 2017, gerados pelas pesquisas da RBM – Rede Brasileira de Manutenção, que são realizadas através do site www.indicadoresdegestao.com. A massaroca de dados traz muita coisa interessante, inclusive como está o humor do mercado MRO (Maintenence, Repair, Operation), aqui entre […]">

Os 100 primeiros e as recomendações para implantação de uma nova liderança

Ano novo, emprego novo, função nova, casamento novo, casa nova, mandato novo, escola nova, chefe novo e por aí vai. Todo mundo já experimentou, está experimentando e vai experimentar uma transição em sua vida. As vezes mais de uma ao mesmo tempo.

Um exemplo macro sobre isso é o assunto mais comentado na mídia internacional do momento: O que Mr. Trump vai fazer como Presidente dos EUA em seus 100 primeiros dias a frente da mais poderosa nação do planeta? Surpresas (ou não) a caminho.

Deixando a geopolítica mundial e baixando aqui para a realidade de quem está cuidando da sua vida e não da dos outros, mesmo não se tratando de uma mudança radical de governo, 100 dias costuma ser um bom prazo para uma transição e é um dos maiores desafios para quem está chegando a cargos de liderança.

No Brasil e no mundo as estatísticas mostram que líderes com alto potencial mudam de função, em média, a cada 3 ou 5 anos. Os períodos de transição são constantes e inevitáveis na trajetória do líder. Progredir na carreira significa dar passos em terrenos ou águas ou ares nunca dantes navegados. Pelo menos não na condição de líder.

O assunto é extenso e o abordo aqui por ser mais que atual.

Transição de liderança é coisa fundamental agora, neste exato momento, na hora em que as empresas brasileiras e os seus profissionais estão se preparando para sair da crise e dar conta de um caminhão de desafios que já entrou em nossas fábricas e aguarda a descarga e distribuição de seu “conteúdo”.

Porque 100 dias?

100 dias. Parece muito ou pouco? Não importa. As ações do líder durante os 100 primeiros dias em um novo desafio podem definir o seu sucesso ou fracasso na continuidade.

Em se tratando de uma empresa (não sei se é o caso de um governo…), 100 dias é o tempo suficiente para o líder conhecer as pessoas, os processos, os problemas, os desafios reais, a geografia, as ameaças, as contas a pagar e as receitas herdadas. É o tempo suficiente também para colocar a liderança passada no passado e fazer-se conhecido por quem vai continuar na viagem em curso.

Nova liderança pode significar continuidade, mas jamais será igualdade. Em geral vem com exigência de transformação. Pode vir com muita força em construção, mas sempre envolve desconstrução.

Existe farta e qualificada literatura disponível sobre sobre o tema. Para quem está em transição de carreira, vale se informar a respeito. As recomendações que compartilho aqui vêm da experiência de campo, subindo e descendo degraus, como soe ser o histórico de uma carreira exposta ao vento, a chuva, ao sol, aos aplausos e vaias, as vitórias e as derrotas. E, espero, com muito ainda a aprender.

6+1 Recomendações para uma Nova Liderança

1 – NÃO ESQUEÇA O PASSADO MAS PENSE NO FUTURO:

Quando se é guindado a uma nova posição, em geral, é por conta do que você sabe, experimentou, por onde com quem andou, sofreu, errou, aprendeu, realizou. Tudo isso é sua mala de viagem, sua caixa de ferramentas. Ocorre que muitos líderes se saem mal na fase inicial por acharem que aquilo que os trouxe até a nova posição é o que garantirá o seu sucesso no futuro. Cuidado! Mesmo que se trate de uma simples promoção dentro da mesma empresa, as responsabilidades, a relação com as pessoas, o peso nos resultados e muitas outras variáveis são diferentes. É importante o líder ter a capacidade de identificar o novo cenário. Não há líder que vá se dar bem dirigindo olhando só para o retrovisor.

2 – ACELERAR O APRENDIZADO:

Falar em humildade para quem acaba de subir na liderança é meio complicado. Mas talvez resida aqui a recomendação mais importante: Aprenda rápido. Acelerar a curva de aprendizado é o desafio maior de líder em transição. Nos 100 primeiros dias pergunte muito. Saber muitas respostas é bom, mas saber onde estão e quem tem as respostas que você sabe, esse é o pulo do gato.

A história da empresa ou do departamento, o mercado inserido, a gama de produtos, as tecnologias e recursos disponíveis, os sistemas operacionais, a cultura organizacional, os principais fornecedores e clientes, os valores e missão e as estruturas da empresa são algumas tarefas de aprendizado que precisam ser cumpridas neste período. Para uma boa transição de liderança calculo, por baixo, que há um investimento entre 30 e 60 dias somente em aprender. Afinal, depois de 3 meses ninguém mais pode ser considerado novo de empresa.

3 – CONHEÇA AS PESSOAS:

Liderar é influenciar. Não vamos repetir aqui os chavões de sempre, mas sem um time não há como se participar de um campeonato. Sabendo seus desafios o líder tem que saber com quem pode contar. Com quem vai ter que se esforçar e quem precisa eliminar. Formar alianças internas e externas o mais rapidamente possível é o que vai dar suporte à concretização das metas iniciais do líder. Vim da Marinha e lá a gente sabe que a bordo sempre tem aqueles que levam o navio e aqueles que o navio leva.

4 – OBJETIVOS E METAS, A IMPORTANCIA DAS VITÓRIAS INICIAIS

Para novas lideranças, novas expectativas. Ou você recebe os objetivos e metas prontinhos ou vai construí-los.

Toda transição de liderança é uma passagem de bastão numa corrida longa de revezamento. Não importando o que aconteceu antes, em 100 dias (as vezes menos) você precisa mostrar ao que veio. Buscar as pequenas vitórias iniciais é fundamental para trazer moral à tropa. Identifique os pontos, por menores que sejam, que lhe permitam mostrar um quadro psicológico positivo. Quem não gosta de comemorar as boas mudanças?

Mas tenha cuidado com o que se compromete a obter. Credibilidade não é um crédito ilimitado para se queimar antes da primeira volta da corrida.

5 – PROMOVA-SE E OBTENHA FEEDBACK

Fez? Faça saber.

Onde estávamos, onde estamos, como chegamos, onde iremos.

O Líder está sempre em evidencia, queira ou não. E sobre ele estão as expectativas.

É seu dever, até por questão de sobrevivência e condições de continuidade da missão depois dos 100 dias, que seu público (colaboradores, clientes internos e externos) saiba o que mudou ou está mudando com a nova liderança em ação.

Matou a cobra? Mostre o pau e a cobra também.

Comemore, com a equipe e até com os clientes. Dar os créditos a quem mereça faz parte da argamassa que dá solidez à construção.

Não se esqueça de que o feedback é tão importante quanto. Não basta mostrar o que fez. É fundamental saber o que seu público realmente consegue ver ou sentir o que você acha que fez. Vai que…

6 – ALINHAMENTO

Planos são Planos e são importantes no sucesso das pessoas e das empresas. Mas não existe Plano perfeito. Existem Planos aperfeiçoados, que podem gerar resultados perfeitos.

Alinhamento é coisa que se faz todo dia. Com o aprendizado acelerado, trabalhando com as pessoas e rodando o dia a dia, seu plano de 100 dias com certeza vai ficar mais límpido depois de decorridos 30, 60, 90 dias.

Na maioria dos casos, numa transição de liderança, há que se persistir, perseverar, lutar contra as “objeções e dificuldades iniciais”, mas fazer correções não é sinal de fraqueza e sim de inteligência gerencial.

7 – ATITUDE NÃO É TUDO, MAS É O QUE FAZ A DIFERENÇA

As seis recomendações anteriores são importantíssimas. São de ouro. Mas, sabe a Música do Wesley Safadão, aquela que fala dos 99% certinhos e 1% vagabundo?

Então. Aqui vai a dica extra. Deixe espaço para sua intuição. Não sei precisar se a intuição é 1, 5 ou 20% da razão do sucesso de uma liderança. Mas é na intuição que está bordada com platina a sua parte, aquela parte que fez de você um líder merecedor da oportunidade ou desafio, o que dá no mesmo. Seja você mesmo. Be yourself. Sua atitude mostra quem você é e do que é capaz, com ou sem planos.

Para finalizar, uma historinha particular:

Idos da década de 1990, instalações da Petrobras em Alagoinhas, Bahia.

Passados os primeiros 30 dias de execução de serviços no campo (com outros 60 dias de preparação…), ralando em um contrato de manutenção de equipamentos de exploração de petróleo em terra, acontece a primeira reunião de avaliação contratual. A chamada Medição mensal.

Depois de apresentar meu primeiro relatório ao fiscal, perguntei sobre sua avaliação pessoal do trabalho. Tudo corria muito bem, acima de todas as expectativas. Mas o feedback do cliente é que é a hora da verdade. Mais que um elogio, eu queria saber se estávamos no caminho certo.

Depois de alguns segundos de silencio ele sorriu e me brindou com uma frase que jamais esqueci: O viajante se conhece pelo arriar das malas.

Abraços

Paulo Roberto Walter

Consultor em Gestão de Serviços – Desenvolvimento de Negócios

27/01/2017
Os 100 primeiros e as recomendações para implantação de uma nova liderança" addthis:description="Ano novo, emprego novo, função nova, casamento novo, casa nova, mandato novo, escola nova, chefe novo e por aí vai. Todo mundo já experimentou, está experimentando e vai experimentar uma transição em sua vida. As vezes mais de uma ao mesmo tempo. Um exemplo macro sobre isso é o assunto mais comentado na mídia internacional […]">

CPFL passa ao controle da chinesa STATE GRID

A CPFL Energia, maior elétrica privada do Brasil, tem agora a empresa State Grid, de capital chinês, no bloco de controle da companhia.

Essa posição de acionista majoritário da State Grid é consequência da compra por 14,2 bilhões de reais das ações detidas pela Camargo Corrêa e por fundos de pensão na empresa de energia elétrica. Além disso o acordo engloba ainda a compra da subsidiária CPFL Renováveis, que é focada no mercado de energia limpa, por mais 3,17 bilhões de reais.

São os chineses, como investidores de outros países, aproveitando as pechinchas em que se tornaram muitas empresas brasileiras, fragilizadas pela crise que já se estende por mais de 2 anos.

24/01/2017
CPFL passa ao controle da chinesa STATE GRID" addthis:description="A CPFL Energia, maior elétrica privada do Brasil, tem agora a empresa State Grid, de capital chinês, no bloco de controle da companhia. Essa posição de acionista majoritário da State Grid é consequência da compra por 14,2 bilhões de reais das ações detidas pela Camargo Corrêa e por fundos de pensão na empresa de energia […]">

Crise nos negócios. Que crise? MANSERV cresce no mercado de óleo e gás

A Petrobrás tem feito um monte de ajustes em suas operações, buscando eficiência, como sempre, e fazendo substituição de fornecedores ligados aos antigos esquemas de corrupção.
Sai quem pisou na bola e deixa espaço para quem estava na fila.
Assim a Manserv, atual maior empresas do país em termos de serviços de manutenção industrial, facilities e logística, ampliou seus negócios com a estatal.
Em passado recente tinha em contrato o atendimento a quatro plataformas.
Depois de ampliar seu centro de serviços de manutenção em Macaé, no Rio de Janeiro, no segundo semestre de 2016, a empresa aumentou seus contratos para nove plataformas sob sua responsabilidade.
Para a MANSERV 2016 foi de números positivos, sendo que de janeiro a setembro, faturou R$ 1,3 bilhão, o que significa 15% mais comparando com 2015.

20/01/2017
Crise nos negócios. Que crise? MANSERV cresce no mercado de óleo e gás" addthis:description="A Petrobrás tem feito um monte de ajustes em suas operações, buscando eficiência, como sempre, e fazendo substituição de fornecedores ligados aos antigos esquemas de corrupção. Sai quem pisou na bola e deixa espaço para quem estava na fila. Assim a Manserv, atual maior empresas do país em termos de serviços de manutenção industrial, facilities […]">

Telefonia: Brasil fecha 2016 com queda de 13 milhões de linhas móveis

O ano de 2016 fechou com 244.066.759 de linhas móveis em operação, uma queda de 5,33%, em comparação com 2015, e redução de 13.747.515 de linhas.

Em comparação com o mês anterior, o mês de dezembro de 2016 registrou um decréscimo de 4.381.305 de linhas, o que representa uma queda de 1,76%.
A queda do número de acessos móveis no ano passado foi consequência da redução da tarifa de interconexão (cobrada entre empresas fixas e móveis) e do valor de remuneração de uso de rede das prestadoras móveis (VU-M), praticados entre as operadoras. Com preços menores das ligações de uma empresa para a outra, os consumidores cancelaram os chips de diferentes prestadores. A desaceleração econômica também contribuiu para encolhimento da base de acessos móveis.

As informações acima são da ANATEL e mostram que a crise conjugada com um pouco de competição, fazem preços baixar e o mercado se ajustar.

19/01/2017
Telefonia: Brasil fecha 2016 com queda de 13 milhões de linhas móveis" addthis:description="O ano de 2016 fechou com 244.066.759 de linhas móveis em operação, uma queda de 5,33%, em comparação com 2015, e redução de 13.747.515 de linhas. Em comparação com o mês anterior, o mês de dezembro de 2016 registrou um decréscimo de 4.381.305 de linhas, o que representa uma queda de 1,76%. A queda do […]">

2016 já se foi. Mas as notícias que nos chegam de lá são muito ruins. Ainda bem que já pulamos para 2017.

O Termômetro da Indústria é um Painel de indicadores que a CNI – Confederação da indústria, disponibiliza em seu site.

Dos 9 indicadores acompanhados mensalmente pelo Termômetro, com dados do mês de outubro/16, somenet um estava na condição neutra e os demais com desempenho negativo.

Ano velho e ruim. Ainda bem que já se foi.

CNI – Termômetro da Indústria

Acesse o termômetro da indústria e acompanhe a situação da indústria brasileira.

03/01/2017
2016 já se foi. Mas as notícias que nos chegam de lá são muito ruins. Ainda bem que já pulamos para 2017." addthis:description="O Termômetro da Indústria é um Painel de indicadores que a CNI – Confederação da indústria, disponibiliza em seu site. Dos 9 indicadores acompanhados mensalmente pelo Termômetro, com dados do mês de outubro/16, somenet um estava na condição neutra e os demais com desempenho negativo. Ano velho e ruim. Ainda bem que já se foi. […]">

Quais são os melhores dias e horários para postar nas mídias sociais?

Quais são os melhores horários para postar nas mídias sociais [Infográfico)

As redes sociais já se tornaram parte da existência humana nos dias de hoje. Elas tomaram uma proporção tão grande que já estão completamente integradas à rotina e, com a popularização dos tablets e smartphones, as pessoas passam quase que o dia inteiro checando atualizações, comentários, fotos e afins.

03/01/2017
Quais são os melhores dias e horários para postar nas mídias sociais?" addthis:description="As redes sociais já se tornaram parte da existência humana nos dias de hoje. Elas tomaram uma proporção tão grande que já estão completamente integradas à rotina e, com a popularização dos tablets e smartphones, as pessoas passam quase que o dia inteiro checando atualizações, comentários, fotos e afins.">

Mercado de Energia Solar assume posição de liderança em investimentos em 2016

Mercado global de energia solar ganhou relevância em 2016

O GLOBO – Há uma transformação acontecendo nos mercados globais de energia que vale a pena destacar: a energia solar, pela primeira vez, está se tornando a forma mais barata de gerar eletricidade. Já houve projetos isolados no passado nos quais isso aconteceu: um leilão especialmente competitivo no Oriente Médio, por exemplo, que resultou em custos recordes de energia solar barata.

03/01/2017
Mercado de Energia Solar assume posição de liderança em investimentos em 2016" addthis:description="Mercado global de energia solar ganhou relevância em 2016 O GLOBO – Há uma transformação acontecendo nos mercados globais de energia que vale a pena destacar: a energia solar, pela primeira vez, está se tornando a forma mais barata de gerar eletricidade. Já houve projetos isolados no passado nos quais isso aconteceu: um leilão especialmente […]">

Aplicativo mede a geração de energia solar de telhados no Rio

Aplicativo mede a geração de energia solar de telhados no Rio

Rio – O Instituto Pereira Passos (IPP) criou um aplicativo online Mapa Solar Rio, que mede a capacidade de geração de energia solar dos telhados da capital fluminense. A iniciativa foi feita em parceria com a Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços (Sedeis) e a Empresa de Pesquisa Energética (Epe) com apoio da GIZ, fundação de cooperação técnica da Alemanha com importante atuação na área energética.

03/01/2017
Aplicativo mede a geração de energia solar de telhados no Rio" addthis:description="Aplicativo mede a geração de energia solar de telhados no Rio Rio – O Instituto Pereira Passos (IPP) criou um aplicativo online Mapa Solar Rio, que mede a capacidade de geração de energia solar dos telhados da capital fluminense. A iniciativa foi feita em parceria com a Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e […]">
123451020