oferecimento
Esqueci minha senha
Paulo Walter

Gestão Estratégica de Negócios

Paulo Walter

 

FLIR lança nova série de Câmeras Termográficas

10/05/2017
FLIR lança nova série de Câmeras Termográficas" addthis:description="">

Petrobras vai vender a Refinaria de Pasadena, nos EUA

A Diretoria Executiva da Petrobras aprovou a recomposição de sua carteira de projetos de parcerias e desinvestimentos. Estão previstas a alienação da Refinaria de Pasadena e da participação na Petrobras Oil & Gas B.V. (PO&G), proprietária de ativos na África.

Segundo a nota distribuída à imprensa hoje, a empresa informa que estes e os demais projetos de parcerias e desinvestimentos seguirão os procedimentos da sistemática para desinvestimentos revisada, em cumprimento à decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), proferida em 15/03/2017.

A nota informa ainda que, conforme essa sistemática adotada, os projetos serão submetidos individualmente à Diretoria Executiva e, se aprovados, serão oportunamente divulgados ao mercado. Serão disponibilizados na página da companhia na Internet os respectivos teasers (divulgação da oportunidade de desinvestimento), que trarão maiores informações sobre os ativos envolvidos, o modelo de negócio e os critérios de seleção de potenciais interessados. Dessa forma, a carteira aprovada é uma carteira de intenções, a partir da qual o início de divulgação de cada projeto se dará individualmente e oportunamente.

A Petrobras esclareceu ainda que o seu programa de desinvestimentos é dinâmico e poderá ser alterado devido às condições de mercado e às sucessivas análises do portfólio, de forma aderente ao Planejamento Estratégico da companhia. Além disso, a realização de cada desinvestimento dependerá da evolução das negociações e da obtenção das aprovações necessárias, podendo, portanto, haver alterações ao longo dos processos de parcerias e desinvestimentos.

Por fim, a Petrobras reafirma no comunicado à imprensa que segue a manutenção da sua meta de parcerias e desinvestimentos estabelecida no Plano Estratégico de US$ 21 bilhões para o biênio 2017/2018.

10/05/2017
Petrobras vai vender a Refinaria de Pasadena, nos EUA" addthis:description="A Diretoria Executiva da Petrobras aprovou a recomposição de sua carteira de projetos de parcerias e desinvestimentos. Estão previstas a alienação da Refinaria de Pasadena e da participação na Petrobras Oil & Gas B.V. (PO&G), proprietária de ativos na África. Segundo a nota distribuída à imprensa hoje, a empresa informa que estes e os demais […]">

9 Verdades e 1 Mentira sobre Balanceamento de Máquinas e Análise de Vibrações.

Conversando com meu amigo Luciano Ponci (TEKNIKAO) sobre a importância da Manutenção Preventiva nas empresas, de qualquer tipo, e como poderíamos falar do tema sem sermos repetitivos, resolvemos criar um texto que falasse, de forma leve, sobre as melhores e mais rentáveis técnicas que se pode aplicar nos equipamentos mais importantes da maioria das instalações Brasil afora. Pegando carona no que circula nas redes sociais, resolvemos fazer uma lista diferente.

Análise de Vibração é um bicho papão?

Como falar de Análise de Vibração e Balanceamento de Máquinas, demonstrando que não são técnicas do tipo “bicho de sete cabeças”?
Assunto extenso esse. Mas o principal a ser tratado era a questão da atenção e qualidade nos recursos humanos e materiais, que lidam com essas técnicas. Resolvemos então fazer uma lista, sobre a qual só quem entende do assunto pode “dar pitaco”. Os profissionais da área é que sabem “onde dá pé e onde não dá pé”.
Onde a Manutenção é organizada, todos os esforços são para obter um retorno adequado em aumento de confiabilidade e disponibilidade dos equipamentos, sem deixar de lado o cuidado com custos (investimentos) que possam dar o devido retorno financeiro.

Análise de Vibrações e Balanceamentos Dinâmicos não são nenhuma novidade no mercado, mas todo dia nos deparamos com dúvidas e situações de clientes onde a falta de clareza de alguns conceitos podem induzir a erros de procedimentos, diagnóstico e ou de intervenção de manutenção. Algumas “lendas” precisam ser desmitificadas, pois erros conceituais no básico podem desanimar o profissional ou a empresa a avançar ou mesmo continuar usando as técnicas de preditiva.

Mentiras e Verdades – 9 contra 1

Você é capaz de identificar na lista abaixo quais são as 9 verdades e 1 mentira sobre o tema Análise de Vibrações e Balanceamentos Dinâmicos?

  1. Vibração = Desbalanceamento;
  2. Aceleração do movimento vibratório = Alta Frequência;
    Velocidade do Movimento Vibratório = Baixa Frequência;
  3. Balanceamento em torno de usinagem é a melhor forma de se obter maior qualidade no resultado final;.
  4. Usar acelerômetro em balanceadoras de mancal rígido não é uma boa opção;
  5. Usar Acelerômetro de maior sensibilidade é o que há de melhor para analisar defeitos em rolamentos;
  6. Usar pouca resolução de espectro para “limpar” o sinal é uma boa técnica;
  7. O controle de qualidade de vibração com uma pessoa “medindo” o Ruído em cabine acústica é solução aceita pelas normas internacionais;
  8. Novas técnicas de análise de rolamentos servem para aumentar a venda de rolamentos;
  9. Manutenção Preditiva tem custo alto, principalmente quando se fala de Balanceamento de Máquinas e Análise de Vibração, e não há como se saber se há economia ou não ao se aplicar essas técnicas;
  10. A Termografia substitui a Análise de Vibração e vice-versa;

 

A lista aí está. Agora é com você.
Deixe seu comentário e nos diga quais itens são mentiras (falsas crenças, digamos) e onde está a afirmação verdadeira da lista apresentada.

Está valendo o elogio para a discussão em grupo. As repostas virão nos comentários e em artigo posterior que publicaremos.

Abraços

Luciano Ponci e Paulo Walter

Para mais informações sobre Análise de Vibrações e Balanceamento Dinãmico de Máquinas, acesse www.teknikao.com.br

08/05/2017
9 Verdades e 1 Mentira sobre Balanceamento de Máquinas e Análise de Vibrações." addthis:description="Você é capaz de identificar na lista abaixo quais são as 9 verdades e 1 mentira sobre o tema Análise de Vibrações e Balanceamentos Dinâmicos?">

Automação para ter competitividade. Cadê o emprego que estava aqui? Mudou-se.

Notícia Número 1 da semana: Siemens e Adidas pretendem juntar-se para produzir artigos desportivos.

As duas empresas fizeram um comunicado em comum durante a Feira de Hannover, na Alemanha, feira essa que se realizou de 23 a 27 de abril.
Os parceiros querem avançar com a digitalização da Adidas SPEEDFACTORY com o objetivo de, mais tarde, fortalecer capacidades para a produção individualizada. Esta medida surge no âmbito de um programa conjunto de pesquisa e desenvolvimento.

A Adidas SPEEDFACTORY simboliza uma nova geração de produção de artigos desportivos, impulsionando a criação de artigos mais próximos do consumidor e completamente únicos relativamente à portabilidade, necessidades funcionais e de ajuste. A fabricação de artigos desportivos individualizados requer flexibilidade na produção e a rápida assimilação de novas tecnologias.

Notícia Número 2 da semana: Deu site da CNI que Robotização é saída para aumento de produtividade

A baixa competitividade é um “gargalo” que diminui o potencial de crescimento da indústria brasileira, como apontam, frequentemente, diversas pesquisas realizadas pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para enfrentar o problema, um importante aliado é o robô – capaz de aumentar a produtividade e reduzir custos operacionais.

O Brasil tem cerca de 10 mil robôs industriais em operação e, este ano, deve chegar a 18 mil. Em 2019, o setor deve adquirir outras 400 mil máquinas em todo o mundo. Apenas na indústria brasileira, serão 3,5 mil novas unidades, mais que o dobro de peças compradas em 2015: 1,4 mil. Mas isso ainda é insuficiente.

Os chãos de fábrica brasileiros contam com nove robôs para cada 10 mil trabalhadores, enquanto a Coreia do Sul, líder do ranking, tem 437. Os dados da Federação Internacional de Robótica (IFR) revelam o mercado nacional como grande consumidor de tecnologia de automação industrial, liderado pelos setores petroleiro, de mineração e celulose, de produção de açúcar, de etanol e de biodiesel.

Ampliar a presença de robôs nos parques industriais e incorporar práticas de produtividade e eficiência exigem da indústria nacional um salto duplo, tanto para disseminar o conceito de máximo de entrega de valor, com o mínimo de recursos despendidos, quanto para incorporar o manuseio de tecnologias digitais em proporção equivalente à demanda industrial.

Comentário único da semana:

Para melhorar a competitividade e gerar mais empregos é preciso investir em automação, para reduzir custos, diminuindo o número de operadores.

Entendeu? Se você entendeu, por favor me explique.

Abraços

Paulo Walter

05/05/2017
Automação para ter competitividade. Cadê o emprego que estava aqui? Mudou-se." addthis:description="Notícia Número 1 da semana: Siemens e Adidas pretendem juntar-se para produzir artigos desportivos. As duas empresas fizeram um comunicado em comum durante a Feira de Hannover, na Alemanha, feira essa que se realizou de 23 a 27 de abril. Os parceiros querem avançar com a digitalização da Adidas SPEEDFACTORY com o objetivo de, mais […]">

O uso de Drones na Indústria não para de crescer

Veja o vídeo da BHP Billiton, que mostra como o uso de drones está sendo cada vez mais frequente e importante na área de Mineração mundo afora.

 

 

27/04/2017
O uso de Drones na Indústria não para de crescer" addthis:description="Veja o vídeo da BHP Billiton, que mostra como o uso de drones está sendo cada vez mais frequente e importante na área de Mineração mundo afora.    ">

ABIMAQ e IPDMAQ oferecem consultoria em gestão da inovação

Benefício compreende a elaboração de um Plano de Gestão da Inovação para as indústrias de máquinas e equipamentos, por meio de uma imersão in loco de verificação do atual estágio em tecnologia e inovação das empresas

Com o objetivo de fortalecer as atividades de inovação das empresas para aumento da competitividade, reposicionamento da estratégia e do portfólio de produtos e realização da inovação em processos e serviços, a ABIMAQ e o IPDMAQ oferecem consultoria em gestão da inovação para as indústrias de máquinas e equipamentos.

O serviço, previsto no Projeto “Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação – NAGI ABIMAQ”, com apoio financeiro da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), é constituído de uma imersão in loco para a obtenção de uma visão real do atual estágio em tecnologia e inovação nas empresas, visando à elaboração de um Plano de Gestão da Inovação, com ações concretas e um projeto piloto para a conquista de recursos financeiros para a sua implementação. Para a elaboração do Plano de Gestão da Inovação, está previsto:

– Mapeamento e avaliação das práticas de gestão da inovação tecnológica existentes na empresa;

– Identificação e validação de oportunidades de projetos de inovação para a empresa;

– Estruturação e formalização de um projeto de inovação concreto;

– Desenvolvimento de uma estratégia de inovação de longo prazo;

– Criação de um sistema de monitoramento da gestão da inovação da empresa.

“Esse serviço é uma grande oportunidade para as empresas, frente ao cenário econômico atual e para aquelas que têm na tecnologia e inovação o diferencial competitivo”, afirma o diretor de Tecnologia da ABIMAQ, João Alfredo Delgado.

As empresas que têm interesse em obter esse serviço podem contatar o IPDMAQ pelo e-mail ipdmaq@abimaq.org.br ou telefone (11) 5582-6313.

26/04/2017
ABIMAQ e IPDMAQ oferecem consultoria em gestão da inovação" addthis:description="Benefício compreende a elaboração de um Plano de Gestão da Inovação para as indústrias de máquinas e equipamentos, por meio de uma imersão in loco de verificação do atual estágio em tecnologia e inovação das empresas Com o objetivo de fortalecer as atividades de inovação das empresas para aumento da competitividade, reposicionamento da estratégia e […]">

Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic) deste ano será em Brasília (DF)

Os preparativos para o maior evento da construção civil da América Latina estão a todo vapor. O 89º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic), promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) e realizado pelo Sinduscon-DF, acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de maio, no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, em Brasília-DF. O evento volta a capital federal após dez anos.

 

26/04/2017
Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic) deste ano será em Brasília (DF)" addthis:description="Os preparativos para o maior evento da construção civil da América Latina estão a todo vapor. O 89º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic), promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) e realizado pelo Sinduscon-DF, acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de maio, no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, […]">

Governo Federal oferece cursos gratuitos na área de Ouvidoria.

A Ouvidoria-Geral da União em parceria com a Enap  oferece cursos gratuitos que certificam o participante em Ouvidoria. O programa é composto por seis cursos à distância de 20 horas e a Certificação é emitida caso o participante conclua todos os cursos que totalizam 120 horas.

Os temas abordados são Gestão em Ouvidoria, Controle Social, Ética e Serviço Público, Introdução à Gestão de Processos, Acesso à Informação e Resolução de Conflitos Aplicada ao Contexto das Ouvidorias Públicas.

A Certificação vem a atender demanda antiga de ouvidores e servidores que trabalham em ouvidorias no país. Até então, esse tipo de diploma era oferecido apenas pela iniciativa privada.

Os cursos que integram o Programa de Certificação em Ouvidoria  são fornecidos pela Escola Nacional de Administração Pública – ENAP e todos eles são EAD (educação a distância).

Caso tenha interesse, o participante deverá concluir os seguintes cursos:

Em tempos de poucas oportunidades e grandes mudanças no mercado, ter este tipo de qualificação gratuitamente vale muito a pena.

Mais informações em http://www.ouvidorias.gov.br/certificacao

25/04/2017
Governo Federal oferece cursos gratuitos na área de Ouvidoria." addthis:description="A Ouvidoria-Geral da União em parceria com a Enap  oferece cursos gratuitos que certificam o participante em Ouvidoria. O programa é composto por seis cursos à distância de 20 horas e a Certificação é emitida caso o participante conclua todos os cursos que totalizam 120 horas. Os temas abordados são Gestão em Ouvidoria, Controle Social, Ética […]">

ABNT publica a tradução da norma BS OHSAS 18001 – Sistema de gestão da saúde e segurança ocupacional

Atualização em Segurança ocupacional e saúde do trabalhador.

ABNT – Conheça a Norma traduzida: BS OHSAS 18001 Sistema de gestão da saúde e segurança ocupacional

(null)

25/04/2017
ABNT publica a tradução da norma BS OHSAS 18001 – Sistema de gestão da saúde e segurança ocupacional" addthis:description="Atualização em Segurança ocupacional e saúde do trabalhador. ABNT – Conheça a Norma traduzida: BS OHSAS 18001 Sistema de gestão da saúde e segurança ocupacional (null)">

ISO 20400: Publicada a Norma Internacional de Compras Sustentáveis

Para um mundo em busca de atualização e, principalmente, de redenção, essa Norma é muito bem vinda.

ABNT – Publicada Norma Internacional de Compras Sustentáveis

para compras sustentáveis, ​​acaba de ser publicada pela International Organization for Standardization (ISO) para ajudar as organizações a fazerem das compras sustentáveis ​​um modo de vida. A compra sustentável pode melhorar as relações com os fornecedores e seus negócios. Ela desempenha um papel importante em qualquer organização, grande ou pequena.

25/04/2017
ISO 20400: Publicada a Norma Internacional de Compras Sustentáveis" addthis:description="Para um mundo em busca de atualização e, principalmente, de redenção, essa Norma é muito bem vinda. ABNT – Publicada Norma Internacional de Compras Sustentáveis para compras sustentáveis, ​​acaba de ser publicada pela International Organization for Standardization (ISO) para ajudar as organizações a fazerem das compras sustentáveis ​​um modo de vida. A compra sustentável pode […]">

INOVA MINERAL aprova Planos de Negócios de R$ 737 MILHÕES em investimentos

A primeira seleção do Inova Mineral, iniciativa da Finep e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para apoiar projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação na área de mineração e transformação mineral, aprovou 24 planos de negócios que somam investimentos de R$ 737 milhões. O maior número de projetos é voltado para a mitigação de riscos e impactos ambientais da atividade de mineração, como o aperfeiçoamento de sistemas de sensores inteligentes para o monitoramento de barragens. Também foram selecionados planos de recuperação e reutilização de resíduos da atividade mineral em outros produtos. São dez iniciativas que somam pouco mais de R$ 200 milhões em investimentos que poderão contribuir com o desenvolvimento do potencial do setor de mineração com mais segurança, reduzindo o risco de acidentes.

20/04/2017
INOVA MINERAL aprova Planos de Negócios de R$ 737 MILHÕES em investimentos" addthis:description="A primeira seleção do Inova Mineral, iniciativa da Finep e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para apoiar projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação na área de mineração e transformação mineral, aprovou 24 planos de negócios que somam investimentos de R$ 737 milhões. O maior número de projetos é voltado para a […]">

Brasil ocupa o nono lugar na economia mundial, pelo critério do PIB

Apesar de todas as perdas que o Brasil teve nos últimos anos, de continuada incompetência e corrupção na condução da economia nacional, o país resite e ainda ocupa a nona colocação entre as nações mais ricas do planeta, tendo sido superado pela Índia recentemente.

 

19/04/2017
Brasil ocupa o nono lugar na economia mundial, pelo critério do PIB" addthis:description="Apesar de todas as perdas que o Brasil teve nos últimos anos, de continuada incompetência e corrupção na condução da economia nacional, o país resite e ainda ocupa a nona colocação entre as nações mais ricas do planeta, tendo sido superado pela Índia recentemente.  ">

Boletim da ABNT trata do tema da Gestão de Riscos

Está disponível no site da ABNT o último Boletim da entidade, que tem periodicidade bi-mestral.

Aconselho a notícia do bem elaborado boletim, que nos traz assuntos diversos como EPI, clima e outros, mas traz como destaque a questão da melhoria da gestão nas empresas e no governo para a mudança disruptiva com a ineficiencia e corrupção que todos esperamos.

A revista trata, como sendo “imperativa a gestão de riscos, até como condição de sobrevivência de organizações de todos os portes e áreas de atuação, sujeitas a casos de suborno, corrupção, fraudes e outros ilícitos que se alastram pelo País. Quando não há controle, as consequências são sempre dramáticas, envolvendo perdas financeiras, descrédito e reputações destruídas. Retomar a rota pode ser um desafio extremo e, às vezes impossível.

 

19/04/2017
Boletim da ABNT trata do tema da Gestão de Riscos" addthis:description="Está disponível no site da ABNT o último Boletim da entidade, que tem periodicidade bi-mestral. Aconselho a notícia do bem elaborado boletim, que nos traz assuntos diversos como EPI, clima e outros, mas traz como destaque a questão da melhoria da gestão nas empresas e no governo para a mudança disruptiva com a ineficiencia e […]">

ENASE será realizado em maio

O Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico (ENASE) chega a sua 14ª edição nos dias 17 e 18 de maio e trará o tema “Modernização e evolução do modelo setorial”. O evento será realizado ao longo dos dois dias de intensa troca de ideias e networking.

O ENASE, que reúne as principais autoridades do setor, 19 principais associações e centenas de especialistas, acontecerá no Rio de Janeiro, no Centro de Convenções Sulamérica e já está com inscrições abertas, com vagas limitadas.

Os interessados podem garantir vaga se inscrevendo pelo site (www.enase.com.br). Associados possuem desconto de 10%.

19/04/2017
ENASE será realizado em maio" addthis:description="O Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico (ENASE) chega a sua 14ª edição nos dias 17 e 18 de maio e trará o tema “Modernização e evolução do modelo setorial”. O evento será realizado ao longo dos dois dias de intensa troca de ideias e networking. O ENASE, que reúne as principais autoridades do […]">

Jornal Gazeta do Povo, de Curitiba, informa: sai o impresso e continua o mobile

Em evento realizado em nesta quinta-feira, 6, em Curitiba, a Gazeta do Povo anunciou grandes mudanças em sua estrutura, estratégia e produtos. A de maior impacto é a reformulação do projeto editorial, que vai centralizar esforços na produção e no consumo de conteúdo mobile, encerrando a edição impressa de domingo à sexta-feira, a partir de junho. Impresso mesmo, só a edição de sábado que conterá um resumo da semana, mais com ares de revista semanal.
A ideia é manter a notícia e conteúdo pelas redes sociais e em suas plataformas exclusivas, dentro do conceito de acesso à informação instantaneamente, onde a pessoa estiver.

Um decisão como essa afeta um mundareu de pessoas na cadeia produtiva: profissionais graficos, fornecedores de tinta, bancas de jornal, empresas de transporte, industria de papel e celulose, etc.

É … O tal de admirável mundo novo veio com tudo…

A Gazeta do Povo é o primeiro dos 10 grandes jornais impressos diários brasileiros a fazer este movimento. O jornal pertence ao grupo empresarial RPC, que é também afiliada da Rede Globo para o Estado do Paraná.
Como será que reagirá a concorrência?

Dizia Chacrinha, guru da comunicação de massa do século passado, “quem não se comunica se trumbica”. No que diz respeito aos Jornais, a turma não sabe se vai ou se fica. (até rimou).

Abraços

Paulo Walter

 

 

06/04/2017
Jornal Gazeta do Povo, de Curitiba, informa: sai o impresso e continua o mobile" addthis:description="Em evento realizado em nesta quinta-feira, 6, em Curitiba, a Gazeta do Povo anunciou grandes mudanças em sua estrutura, estratégia e produtos. A de maior impacto é a reformulação do projeto editorial, que vai centralizar esforços na produção e no consumo de conteúdo mobile, encerrando a edição impressa de domingo à sexta-feira, a partir de […]">

Nem otimista, nem pessimista: Mercado de Manutenção está em compasso de espera

Como é de praxe, todos os meses a RBM – Rede Brasileira de Manutenção faz um levantamento nacional sobre o clima e expectativas lá no chão de fábrica, onde as coisas acontecem, junto aos profissionais que atuam em Manutenção, Facilities, Gestão de Ativos, em tudo quanto é tipo de empresa.

Esse levantamento mensal mostra como estão as perspectivas para o curto e o longo prazo.

Expectativas de Mercado – Índice de Confiança – IC-MRO

No link http://www.questionpro.com/t/PBtMqZYIAC é possível acessar o relatório flash da Pesquisa Nacional da RBM – Rede Brasileira de Manutenção, que mede mensalmente a confiança dos profissionais brasileiros das áreas de serviços: Manutenção Predial e Industrial, Gestão de Facilities, Engenharia (Projetos e Obras).

A pesquisa nacional IC-MRO vem sendo valorizada pelos profissionais de todo o país e, neste mês,  contou com 232 participantes, representando 193 empresas de quase todo o país. Abaixo seguem comentários e um extrato do que esse levantamento nos trouxe.

Cenário Projetado para Abril de 2017
No início de 2017 a expectativa geral para o ano era uma nota 6,83 (em dezembro/2017 era 5,25). Indicativo de forte esperança de recuperação para 2017. Em fevereiro esse índice foi de 7,13 e se manteve igual agora em março.
Parece óbvio que há uma expectativa positiva em relação a economia brasileira, mas com notícias ora boas, ora ruins, a comunidade está em estado de alerta.

 

Especificamente para as atividades de MANUTENÇÃO, o IC (Índice de Confiança) evoluiu de 7,24 (janeiro) para 7,46 (fevereiro) e agora em março caiu para 7,27. Esse índice nos mostra que a área de Manutenção segue com otimismo maior do que se experimenta em relação à empresa como um todo, mas o recuo apontado mostra que a área está sentindo o impacto de falta de decisões concretas de longo prazo.

A curva de indicações deste índice fechou março com 57% das respostas como otimistas (notas 7 e acima).

EMPREGO

As vagas nas empresas apontam tendência de queda este mês. Em janeiro havia vagas em 24,5% das empresas, em fevereiro havia processos de contratação em 29% das empresas alcançadas pelo levantamento. Agora há vagas de emprego em tão somente 21% delas.
Pelo outro lado, abril começa com 17% das empresas afirmando que estão ainda em processo de enxugamento de suas equipes. Esse índice era de 15% no período anterior.

Alerto para o fato de que este importante índice pode ser identificado como um indicativo (ou não) da retomada da capacidade de produção dos ativos.

 

EXPECTATIVA DE CURTO PRAZO
A expectativa de curtíssimo prazo – net promoter score IC-MRO, que nos diz como os profissionais vêm o que vai acontecer nos próximos 30 dias, uma visão do que vai acontecer no mês imediatamente seguinte (no caso aqui se trata de abril 2017), cravou -64,6.
Em março era de negativos 62,71 (-61,54 para fevereiro e -70,83 para janeiro), com distribuição de 31% positivos (30,5% para a visão de março, 29% de fevereiro, 3% com relação a janeiro), 46% neutros (46% em março, com 33% para fevereiro e 20% para janeiro) e 33,9% pessimistas (33,7% para março, para fevereiro era de 38% pessimistas e 75% em janeiro).

Apesar do IC-MRO de curto prazo ter piorado levemente, a curva de distribuição mostra que o grupo de pessimistas se manteve estável em relação ao mês anterior.

Considerações quanto as expectativas de mercado para 2017,:

O ano já consumiu um quarto de seu tempo e a expectativa geral que vinha sendo de melhora mês a mês, agora entrou num compasso de espera.
Com várias reformas importantes em andamento (Previdência, Terceirização, Trabalhista, Política), a visão geral é de que o cenário político continua sendo o ponto de maior insegurança e

preocupação. Na parte de comentários que a pesquisa permite que as pessoas se expressem livremente, a maioria das observações mostram o despontamento com a classe politica dominante atual, não a identificando capaz de fazer os movimentos éticos e estruturais necessários à retomada do crescimento da economia.
Ainda assim, se detecta que é crença geral, ainda, que o segundo semestre será melhor do que o primeiro.

WORD CLOUD – Na área da pesquisa onde as pessoas podem se manifestar livremente, as palavras mais usadas foram: Corrupção, Economia, Lava Jato, Crise e Desemprego.

Abaixo está a nuvem de palavras gerada na pesquisa neste mês.

Aproveite agora, se quiser participar da pesquisa mensal IC-MRO e comparar suas próprias opiniões com a média geral do mercado, basta responder ao questionário da pesquisa no link http://expectativasic-mro.questionpro.com. O relatório flash, que sai na hora, mostrará o retrato do dia e hora de sua participação.

 

Paulo Walter
BI – Business Inteligence
Marketing Content
Tel.: 21 99731-5454

 

05/04/2017
Nem otimista, nem pessimista: Mercado de Manutenção está em compasso de espera" addthis:description="Como é de praxe, todos os meses a RBM – Rede Brasileira de Manutenção faz um levantamento nacional sobre o clima e expectativas lá no chão de fábrica, onde as coisas acontecem, junto aos profissionais que atuam em Manutenção, Facilities, Gestão de Ativos, em tudo quanto é tipo de empresa. Esse levantamento mensal mostra como […]">

Conhece a coletânea de Normas Técnicas para Cinemas?

ABNT – Coletânea de Normas para Cinema

(null)

03/04/2017
Conhece a coletânea de Normas Técnicas para Cinemas?" addthis:description="ABNT – Coletânea de Normas para Cinema (null)">

TECNOFINK participa da OTC pelo sexto ano consecutivo

TECNOFINK APOSTA EM SUAS TECNOLOGIAS PARA FAZER SUCESSO NA OTC E CONQUISTAR CLIENTES INTERNACIONAIS

Atuando há mais de 22 anos no mercado com tecnologia diferenciada a Tecnofink chega no Pavilhão Brasil da OTC pela sexta vez. É uma das empresas que sempre se destaca na feira porque leva para o espaço de exibição uma demonstração da tecnologia que desenvolveu para Limpeza e Manutenção de Trocadores de Calor, Polímeros de Alto Desempenho, Vedação de Vazamentos e Reforço Estrutural em Tubulações e no controle e proteção contra a Corrosão.

24/03/2017
TECNOFINK participa da OTC pelo sexto ano consecutivo" addthis:description="TECNOFINK APOSTA EM SUAS TECNOLOGIAS PARA FAZER SUCESSO NA OTC E CONQUISTAR CLIENTES INTERNACIONAIS Atuando há mais de 22 anos no mercado com tecnologia diferenciada a Tecnofink chega no Pavilhão Brasil da OTC pela sexta vez. É uma das empresas que sempre se destaca na feira porque leva para o espaço de exibição uma demonstração […]">

O que é mais importante? Liderança ou Conhecimento?

Numa manhã de quarta-feira, indo para o trabalho, me chega uma consulta por um de meus Grupos de Whatsapp: “Paulo, estou na dúvida entre os dois candidatos finalistas de um longo processo de seleção para preencher uma posição de Gerente de Manutenção. Os dois candidatos se assemelham muito em experiencia, formação, domínio de línguas, etc., etc. O que os diferencia? O que falta em um sobra no outro, exatamente nos aspectos Liderança e Conhecimento. Quem você escolheria?

A moeda da Sorte

Todo dia me chegam dezenas de mensagens e solicitações pelas redes sociais. Mas aquela solicitação mexeu comigo. Como assim, no escuro, sem mais detalhes, escolher entre o Conhecimento e a Liderança? Me senti como a moeda lançada ao ar, para decidir quem bate o penalty da decisão primeiro. Não havia como responder na hora.

Passei uma boa parte da minha manhã pensando no assunto, chegando a postar aqui no Linkedin a minha dúvida de meio de semana, com muitos e proveitosos comentários.

De repente minha carreira foi passando na minha cabeça, um flashback editado pela pauta do dia: Liderança ou Conhecimento? Na tentativa de responder a pergunta do dia, fui lembrando das pessoas que fizeram diferença na minha longa estrada da vida profissional, como meus chefes, gerentes ou diretores. E mentalmente fui lhes dando notas para liderança e conhecimento, dando nota também para o sucesso ou fracasso que tiveram em suas funções.

A balança do sucesso

Eureka! Na tentativa de dar uma resposta ao meu cliente, sem nenhuma premeditação, havia criado na minha cabeça uma matriz de apoio à decisão. Na verdade, matriz é um nome legal para a encucação que me assolava, pois passara a manhã inteira repetindo para mim mesmo, em meia voz, aquelas duas palavras aparentemente antagônicas, o que parecia acontecer naquele caso.

Assim é que, na minha balança mental, fui pesando um a um dos principais chefes, gerentes e diretores com quem trabalhei. O resultado foi ficando claro, muito claro, a cada nova pesagem.

Equilíbrio, diferente de estável 

O sucesso na função de comandante não significa, muitas vezes, agradar os comandados. Alguns (poucos) de meus chefes não me deixaram tão boas lembranças. Mas agora, com a isenção emocional que o tempo nos propicia, consigo avaliar melhor o que foram suas “temporadas” no exercício de suas funções.

Sem alongar muito a história aqui, o resultado final foi que a característica Liderança ganhou por pouco. Muito pouco. Uns 10%, se tanto. Meus superiores com características marcantes de liderança foram mais bem sucedidos que aqueles que eram “os caras” do conhecimento.

O bom dessa retrospectiva matinal do LiderCon, é que ficou em mim a certeza de que dar o poder a líderes sem conhecimento é certeza de desastre, mais dia, menos dia. O Brasil da crise, tentando se recuperar de seus mais longo tempo de péssima gestão que o diga.

E a obviedade do quão é inócuo, para uma empresa, ter alguém em posição de mando que conhece muito mas não faz acontecer.

Feliz com minha reflexão, finalmente respondi ao meu cliente com uma pergunta, no melhor estilo bumerangue: Sem conhecimento não há liderança, sem liderança de nada vale o conhecimento.

Abraços

Paulo Walter

Consultoria em Gestão Empresarial

paulo.walter@manutencao.net

14/03/2017
O que é mais importante? Liderança ou Conhecimento?" addthis:description="Numa manhã de quarta-feira, indo para o trabalho, me chega uma consulta por um de meus Grupos de Whatsapp: “Paulo, estou na dúvida entre os dois candidatos finalistas de um longo processo de seleção para preencher uma posição de Gerente de Manutenção. Os dois candidatos se assemelham muito em experiencia, formação, domínio de línguas, etc., […]">

A TERCEIRIZAÇÃO da Manutenção avança no Brasil. Apesar da crise ou por causa da crise?

Hoje saiu o relatório da pesquisa anual , edição 2017, sobre TERCEIRIZAÇÃO na Manutenção Brasileira.

Essa pesquisa é realizada pelo site www.indicadoresdegestao.com, um dos canais da da RBM – Rede Brasileira de Manutenção.

Os números da pesquisa mostram que a Terceirização também foi afetada pela crise em que o Brasil se arrasta desde final de 2014.

O número de empresas que terceirizam serviços manteve-se estável (87%) em relação a 2016, observando-se que entre as multinacionais esse índice chega a 96% enquanto entre as nacionais está em 62%.

 

Dilema Shakespeariano

Terceirizar ou não terceirizar, eis a questão.
Com a lei geral sobre Terceirização prestes a ser votada na Câmara do Deputados, em Brasília, veremos como o mercado vai se comportar. O assunto esteve parado desde 2002, por conta da ação de alguns partidos políticos que vêm a liberação da Terceirização como um obstáculo à sua vontade de estatização geral.
Mas voltando aos números da pesquisa, não houve muita mudança no amor e ódio à terceirização na Manutenção: 33% são contra e 67% a favor. Quando se aplica um filtro nas respostas, vemos que o pessoal da alta gestão (gerentes e diretores), são amplamente favoráveis (92 %) a se terceirizar muitas atividades de Facilities e Manutenção.
A pesquisa mostra que Terceirização na Manutenção só é palpável nas empresas com mais de 500 empregados.

 

 

Terceirizar para reduzir Custos

Entre as empresas que já tinham a prática da terceirização cresceu o número de serviços contratados (aumento de 3%).
E a necessidade de redução de custos subiu de 22 para 27% como motivo para se terceirizar, enquanto a expertise do prestador de serviços ficou estável na casa dos 35%.
O serviço mais terceirizado do Brasil continua sendo a Manutenção de Ar Condicionado (67,4%), seguido de Manutenção Predial (55,2%) e Serviços Gerais (Chaveiro, marceneiro, etc.) que é algo praticado em 53,5% das empresas.
Cabe um destaque para a Limpeza Predial que em 2016 era terceirizada em 22% das empresas e hoje já está presente em 33% delas.

 

Melhorou mas fica como está

Uma boa notícia: 86% das empresas recomendam as empresas que lhe fornecem os serviços. No ano passado esse índice foi de 80%.
Uma notícia ruim ou boa, dependendo de quem lê: as empresas vão manter seus níveis atuais de terceirização. Quem tem, tem e fica como está. Quem não tem, não pretende ter.  Tanto é assim que somente 25,9 % das empresas pretendem aumentar seu nível de terceirização e 17,6% pretendem diminuir. Números quase iguais aos que se apresentaram no últimos 3 anos desta pesquisa.

 

O relatório completo foi entregue hoje aos 1020 profissionais, de 977 empresas, que responderam a pesquisa durante os meses de janeiro e fevereiro deste ano.

Quem desejar participar dessa e outras pesquisas, deve se cadastra no site www.indicadoresdegestao.com. Cada pesquisa gera um relatório e quem responde ganha o reporte de graça.

Abraços

Paulo Walter
Consultor em Gestão de Serviços

 

 

06/03/2017
A TERCEIRIZAÇÃO da Manutenção avança no Brasil. Apesar da crise ou por causa da crise?" addthis:description="Hoje saiu o relatório da pesquisa anual , edição 2017, sobre TERCEIRIZAÇÃO na Manutenção Brasileira. Essa pesquisa é realizada pelo site www.indicadoresdegestao.com, um dos canais da da RBM – Rede Brasileira de Manutenção. Os números da pesquisa mostram que a Terceirização também foi afetada pela crise em que o Brasil se arrasta desde final de 2014. […]">

O mapa das marcas mais valiosas do mundo, país a país. Qual a mais valiosa do Brasil?

The World’s Most Valuable Brands

You can probably rattle off the names of a few dozen countries around the world. But can you name each of those countries’ biggest brands? Probably not. And yet, many of those brands have more money and power than most countries. So perhaps schools should teach less geography, more global brands.

                       

06/03/2017
O mapa das marcas mais valiosas do mundo, país a país. Qual a mais valiosa do Brasil?" addthis:description="O mapa das marcas mais valiosas do mundo, país a país. Qual a maior no Brasil?">
123451020