oferecimento
Esqueci minha senha

Garantindo diagnóstico preventivo e seguro em instalações fabris

- 23/10/2014

Por: Leandro Hara*

Instalações em plantas da indústria, por serem críticas, necessitam de procedimentos de segurança mais apurados. Os desafios de trabalhar com processos de alto valor e perigo são elevados, envolvendo desde a segurança dos funcionários até a produtividade e rentabilidade.

Para conferir a confiabilidade e a integridade de sistemas complexos, testes em válvulas e conexões são fundamentais. Em linhas gerais, as válvulas são responsáveis pelo controle de fluxo em um sistema. Sua função é extremamente importante em instalações, e esse tipo de equipamento precisa passar por inspeção regularmente.

Hoje, é frequente que a indústria execute Partial Stroke Tests (PST), uma técnica estabelecida para ajudar a provar a funcionalidade das montagens finais dos elementos utilizados nos sistemas de segurança, sobretudo conferindo o desempenho das válvulas de Fechamento de Emergência (ESD). Com o teste a indústria pode verificar suas instalações sem a necessidade de parada.

O PST permite movimentar parcialmente uma válvula sem consequências significativas ao fluxo do processo. Assim, pode identificar possíveis emperramentos e outros problemas operacionais. Sua implantação permite acompanhar o nível de degradação da válvula e demais componentes, podendo adiar o tempo de paradas para manutenção e garantindo o pleno funcionamento da válvula em um evento emergencial.

No entanto, dado seu caráter parcial, os atuais testes podem ser comprometidos pela cobertura diagnóstica limitada a partir da incapacidade de testar as válvulas solenoides; pela compatibilidade exclusiva com atuadores pneumáticos; pelo aumento no número de falhas de segurança, que elevam o risco de desengate falso; ou pela incapacidade de testar a válvula na velocidade operacional projetada ou a necessidade de unidades eletrônicas adicionais a serem construídas e ajustadas.

Existem dois tipos de solução para os PST. A primeira delas, o tipo mais frequente, usa posicionadores. Apesar de sua vantagem de rápida implantação, já que a tecnologia já estava incorporada, a solução requer a reconfiguração do controle pneumático, o que acarreta em taxas de fluxo limitadas, e tem reduzida cobertura de diagnóstico.

Uma segunda alternativa seria com sistemas eletrônicos associados, que embora possam fornecer alto nível de diagnósticos, limitam vários problemas relativos aos posicionadores. E, em geral, esse tipo de aplicação vai precisar da adição de mais equipamentos ao circuito de controle, e por isso são mais caros.

A melhor maneira de eliminar os problemas seria a associação das vantagens de ambas as soluções. Mas para essa combinação, é necessário trazer para o sistema um elemento que reforce a segurança. O principal componente do painel de controle para a função ESD é a válvula solenoide.

Como em ambos os sistemas de PST não há integração total, a averiguação de eventuais problemas não é garantida. A função da válvula solenoide, portanto, será integrar em uma única solução todos os componentes e efetuar averiguações de segurança em todo o sistema. A tecnologia mais segura trazida pela Norgren para o mercado brasileiro recentemente é de uma válvula solenoide que além de executar testes em todas as válvulas do sistema, pode aplicar o teste ao seu próprio funcionamento.

Então, é neste componente que se deve focar no objetivo minimizar as taxas de falha. É necessário aplicar um elemento que garanta um nível de integridade de segurança elevado, enquanto se cria a variação mais ampla possível das opções de controle. A implementação da válvula solenoide de alta confiabilidade garante um sistema integrado aos posicionadores e ao mesmo tempo estabelece comunicação com o painel de controle, resultando em um melhor diagnóstico.

* Leandro Hara, Engenheiro da Norgren para o Brasil

Sobre a Norgren

Líder global em automação pneumática e controle de fluídos, a Norgren desenvolve soluções inovadoras há mais de 80 anos para os setores automotivo, de energia, ferroviário, médico e de alimentos & bebidas. Sua rede alcança 75 países no mundo todo, com o objetivo de atender a demanda dos mais variados clientes e parceiros, além de entregar Engeneering Advantage, que é o conceito baseado no fornecimento de produtos de alto desempenho, serviço qualificado e excelência técnica. No Brasil há 38 anos, as soluções da companhia estão presentes em 15 Estados mais o Distrito Federal, além dos serviços disponibilizados para todo o país por meio da loja virtual Norgren Express.

Conheça a Norgren: http://www.norgren.com/br/

Publicado por: Administrador

1 Comentário


  1. Dario Sousa

    Fazer uma análise de um sistema a prova de falhas é impossível, o que podemos ter mesmo são parâmetros rígidos de segurança. Penso numa rede capaz de se alto reparar, talvez exista em algum dia. O relato que você traz é sempre para todos que trabalham com sistemas complexos um grande desafio.